Em 2007, sob o comando de Cuca, atualmente técnico do Santos, o Botafogo vinha apresentando um ótimo desempenho, sendo apontado por alguns, como o time que jogava o futebol mais bonito no Brasil. Naquela época, do meio para frente, o Glorioso contava com Lúcio Flávio, Jorge Henrique, Zé Roberto e Dodô, mas a defesa era o Calcanhar de Aquiles daquela equipe. E isto ficou mais do que provado na partida de volta contra o River Plate, na Argentina. O Alvinegro Carioca, que havia ganhado por 1 a 0 no Engenhão, perdeu de forma incrível. Até 28 minutos do segundo tempo, vencia por 2 a 1 e estava com um homem a mais em campo. No entanto, sofreu a virada. Porém, o 3 a 2 ainda classificava o time. Aos 47, Falcao Garcia marcou o quarto e tirou os cariocas da competição.

Em entrevista ao Esporte 24 Horas, o meia daquela equipe, Lúcio Flávio, atualmente aposentado do futebol e trabalhando como comentarista em uma rádio de Curitiba, sua terra natal, comentou a triste eliminação.

“Naquele ano de 2007, o time vinha fazendo bom jogos. Nesse confronto contra o River, na minha opinião, o que faltou foi saber administrar o jogo. Principalmente no final da partida, onde tínhamos um jogador a mais e a vantagem em termos de confronto. E não foi isso que aconteceu. E certo que se passasse do River, era uma grande possibilidade de estar chegando, brigando por uma competição internacional, já que nós estaríamos superando um grande rival.”

Copa Sul-Americana 2018

Na atual temporada, Lúcio Flávio acredita que o Botafogo tem condições de ter um final mais feliz do que na sua época. Mesmo com a derrota para o Bahia na Fonte Nova, acredita que o clube se classifique para a próxima fase e pode avançar ainda mais.

“Apesar de ter perdido o primeiro jogo contra o Bahia, é bem possível uma situação de o Botafogo reverter, até pelo fato de ter feito um gol fora de casa. Essa competição ainda te dá essa condição. E se passar do Bahia, deve encarar mais um time brasileiro, que é o Atlético Paranaense, que vive um bom momento depois da troca de treinador. Mas é possível, sim, uma chegada do Botafogo na decisão dessa competição. Eu acredito que ela é bem possível, sim.”

Campeonato Brasileiro

No Brasileirão, o ex-jogador vê o Botafogo oscilando muito na competição. No entanto, acredita que se acontecer o mesmo do ano passado, das equipes brasileiras conseguirem mais vagas para a Libertadores, o Glorioso pode se classificar para a competição internacional através do Campeonato Brasileiro. No momento, o Alvinegro Carioca ocupa a 12ª posição na tabela, com 33 pontos.

“No Campeonato Brasileiro, o Botafogo não consegue ser regular, e por isso ainda briga na parte intermediária da tabela. A equipe até conseguiu fazer alguns bons jogos, em outros teve uma queda grande de rendimento. Mas eu acredito que o Botafogo ainda tem uma certa chance de brigar por uma vaga em termos de Libertadores, obviamente se aumentar o número de brasileiros. Porque, senão, provavelmente deve ficar na zona de Sul-Americana.”

Artilheiro

Empatado com Rodrigo Pimpão, Lúcio Flávio, que jogou no clube em 2006, 2007, 2008, metade de 2009 e em 2010, é o vice-artilheiro do Botafogo em torneios internacionais, com sete gols. A dupla perde apenas pra Sinval, que anotou um tento a mais. O ex-meia acredita que o atual atacante da equipe tem tudo para se tornar o maior goleador do Glorioso neste tipo de competição.

“Eu fiquei sabendo recentemente que era vice-artilheiro do clube em competições de porte internacional. Mas eu acredito, sim, que o Rodrigo Pimpão deva não só passar o Sinval, como, de repente, até abrir uma vantagem. Até pelo fato de ainda ser um atleta em atividade, que está com essa possibilidade do Botafogo passar de fase. Certamente, atingindo outros jogos, o Pimpão pode realmente ser o artilheiro do Botafogo nessa história internacional do clube.”

Destaque

Para Lúcio Flávio, o grande destaque do Botafogo na temporada atua no meio de campo, mais precisamente na posição de volante.

“Na minha opinião, o jogador que tem sido mais regular ao longo do ano no Botafogo é o Rodrigo Lindoso. É um jogador que me agrada muito pela sua capacidade e qualidade. Então, para mim, ele tem sido o grande destaque do time neste ano.”

2019

Por fim, já visando a próxima temporada, Lúcio Flávio comentou o que o Botafogo precisa fazer para ter um 2019 melhor do que este ano.

“Todos os anos os clubes tem um desafio pela frente, e o Botafogo não é diferente disso. Acredito que, primeiro, é procurar manter-se equilibrado no aspecto econômico. Talvez esse tenha sido o grande desafio do clube nos últimos anos. Além do que, manter uma equipe competitiva. Até para ter a possibilidade de brigar por outras competições, não apenas, digamos, o Campeonato Estadual, onde, é claro, é importante ser campeão, especialmente para o torcedor. Mas o aspecto de competições nacionais, como a própria Copa do Brasil. E competições desse nível, como a Sul-Americana. Eu acho que se o Botafogo conseguir já neste ano, quem sabe, alcançar um título de Sul-Americana, ele vai ter a possibilidade de no ano que vem ser uma equipe ainda mais forte, já que isso vai gerar mais receita ao clube”, concluiu.

Fonte: Esporte 24 Horas