A vitória do Botafogo por 2 a 1 sobre o Estudiantes na noite da última terça-feira foi o primeiro jogo de uma nova fase do Botafogo na Libertadores. Pode ter sido também o início de uma nova fase de Sassá, atacante que não foi relacionado para a pré-Libertadores, ficou afastado do elenco, quase saiu para a China e ontem, primeira vez em que entrou em campo pela competição, mudou a partida e armou a jogada do gol da vitória.

O treinador Jair Ventura se emocionou ao falar do jogador, disse que sua relação com Sassá se assemelha à de um pai com seu filho e deu detalhes dos bastidores do ano conturbado do atleta:

— Tive uma conversa muito dura com ele. Mas, é claro, não vou revelar o teor. Preservo meus atletas dessas coisas. Eu estava arrasado quando o Sassá não estava em seu melhor momento, temos uma história desde a base. Foi ele, inclusive, quem me deu meu primeiro título, em 2012, pelo sub-20. Agora, com a cabeça no lugar, espero que ele possa ajudar muito o Botafogo – disse o técnico em entrevista coletiva no Engenhão logo após a partida.

Outro assunto abordado na entrevista foi a comemoração extrovertida de Jair após o segundo gol – ele deu um pique de corrida à beira do campo, e já tinha feito uma dança ao comemorar o gol de empate contra o Colo-Colo, no Chile. A descontração maior este ano, segundo o técnico, tem um motivo: o fantasma do rebaixamento:

— Ano passado eu tinha muito medo de ser rebaixado com o Botafogo. Sabia que, se acontecesse, minha carreira terminaria ali. Era o meu primeiro trabalho profissional como treinador efetivado. Por isso eu era mais sério, o medo do rebaixamento causou isso.

VITÓRIA NO ANIVERSÁRIO

A volta por cima foi reconhecida pelos torcedores, que gritaram o nome do treinador antes, durante e depois da partida. Além da boa campanha até aqui, a partida contra o Estudiantes ocorreu no aniversário de 38 anos dele.

— É incrível, imensurável estar nessa situação. Claro que fiquei emotivo, seria incoerente não ficar. Quero mais momentos assim, partidas como esta, como as contra o Olimpia e o Colo-Colo. Isso é muito gostoso, eu sou um felizardo de poder disputar esta competição com apenas sete meses de carreira.

Roger, autor de um golaço de bicicleta, foi elogiado pelo professor:

— Fico muito feliz por ele. Atacante vive de gols, e ele já não marcava há algum tempo. Além disso, é um ser humano fantástico, e quero que esteja confiante – afirmou.

O gol marcado nesta terça-feira foi o segundo do centroavante com a camisa do Botafogo; o primeiro foi contra o Flamengo, pelo Estadual, no último dia 12 de fevereiro.

Fonte: O Globo Online