O destempero do treinador Jair Ventura contra o Fluminense pode ser mais prejudicial para o Botafogo do que a expulsão na partida e suspensão no jogo seguinte, contra o Bangu. Ele será julgado no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) numa data ainda a ser definida.

Na última partida, ele já cumpriu suspensão e foi substituído pelo auxiliar ténico Emilio Faro.

Jair ainda não falou publicamente sobre a possibilidade de uma suspensão mais longa, mas em entrevista coletiva após o clássico contra o Fluminense, vencido pelo Tricolor por 3 a 2, ele foi tranquilo ao comentar sobre a primeira expulsão de sua carreira como treinador em equipes profissionais:

— O que reclamei foi em relação aos acréscimos. Faz parte do show. O futebol é assim há anos. Mas não temos que tirar os méritos da equipe do Fluminense.

Na súmula da partida contra o Fluminense, o árbitro Mauricio Machado Coelho Junior explicou o que o levou a expulsar o treinador do Botafogo:“Aos 47 (quarenta e sete) minutos do segundo tempo, expulsei o treinador da equipe do Botafogo F.R., Sr. Jair Z. Ribeiro Ventura, após o quarto árbitro da partida me informar sobre reclamações insistentes por gestos e palavras e dizendo as seguintes frases: ‘Vai tomar no c*, só três minutos, tá de sacanagem’; ‘Dá pênalti para os caras e não dá para a gente’; ‘Num f*’. Após ser expulso, o treinador saiu batendo palmas e ironicamente disse: ‘Tá de parabéns’.”

O artigo usado na denúncia tende a ser o 243-F da Justiça Desportiva, que trata de “ Ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto” e prevê suspensão de até seis partidas.

O departamento jurídico do Botafogo informou que defenderá o treinador e que a tentativa será de evitar qualquer punição além da que ele cumpriu contra o Bangu, na última rodada.

Fonte: Extra Online