Mais discreto e falando em um “portunhol”, Carli economizou na palavras. Mas não na empolgação:

– É difícil falar de características. Sou tático, bom no jogo aéreo, forte, mas tenho que aprender muito com o Emerson e os outros – disse Carli.

O argentino disse ainda que vai precisar se adaptar com a arbitragem brasileira e se controlar com a quantidade de cartões amarelos:

– Tenho que trabalhar muito nisso porque a arbitragem é um pouco sensível – refletiu Carli, que tomou sete cartões amarelos no Campeonato Argentino.

Fonte: O Globo Online