O sucesso de Luis Henrique, Fernandes e Ribamar no elenco profissional do Botafogo certamente ilusiona os outros jovens das categorias de base do clube. Um deles é o atacante Renan Gorne. A promessa de 20 anos vem se destacando na Taça Guanabara sub-20 de 2016. No próximo sábado, no Caio Martins, em Niterói, o Alvinegro decide a volta da final contra o Fluminense. Na ida, melhor para o Bota, que fez 2 a 1 nas Laranjeiras. Renan Gorne é o artilheiro do Alvinegro com 12, atrás somente de Pedro, do Flu, e vem formando uma dupla de ataque elogiável com Lucas Campos, que já rendeu 22 gols ao Alvinegro. A reportagem da Super Rádio Tupi conversou com a promessa, que projetou o jogo decisivo e comentou sobre seu companheiro no sistema ofensivo.

“Estou projetando a vitória, como não poderia ser diferente. Conseguimos abrir uma boa vantagem na casa deles, em Laranjeiras, e espero que sábado dê tudo certo para sairmos com o título do Caio Martins. Se Deus quiser, espero marcar um gol para ajudar a equipe e fechar o primeiro turno com chave de ouro”, disse.

“O Lucas Campos é um excelente jogador. Muito bom, humilde, sabe o que faz. É rápido, arisco, vai pra dentro, não tem medo de arriscar. Meu entrosamento com ele sempre foi bom, desde o início do campeonato. Espero que no próximo jogos nós tenhamos uma boa partida para confirmar o título. É o que queremos: trazer o título pro Botafogo”.

No Botafogo desde os 11 anos, o atacante passou por período de testes no Manchester City em 2012 e ressaltou a importância da experiência em sua carreira. Em Manchester, Renan disputou uma partida e foi o melhor em campo: marcou um gol e deu o passe pra vitória por 2 a 1 dos citizens.

“A experiência foi ótima. Pude ter um aprendizado de uma outra cultura de futebol, ver como se joga o futebol europeu, como se o futebol inglês, que é muito rápido, de bastante transição, poucos toques na bola. Foi muito bom. Joguei uma partida com eles (Manchester City) e fiz um gol e dei o passe pra vitória. Ganhamos de 2 a 1. É algo que levarei pra sempre para a minha vida. Foi uma experiência que levarei pra sempre pra minha vida”

Confira a entrevista na íntegra.

Como é para você ter esse status na artilharia?
Brigar pela artilharia é sempre muito bom. Eu normalmente costumo marcar muitos gols nos campeonatos que disputo. Isso me dá uma confiança a mais nas partidas e o time sabe que pode contar comigo. Além disso, o adversário sempre fica muito atento comigo e eu posso fazer alguma jogada que abra espaço para outros jogadores. Pensando por esse lado, é muito bom ser visado.

Luis Henrique e Ribamar, jovens que estão no time A do Botafogo, são espelhos para você?
São espelho pra mim, claro. Até ano passado eles treinavam com a gente. Isso significa que o Bota está aproveitando cada vez mais os jogadores da base. Eu quero fazer meu trabalho aqui e, se pintar uma oportunidade nos profissionais, aproveitar a oportunidade, assim como eles aproveitaram.

Qual é o seu objetivo de carreira e em particular no Botafogo?
Pra minha carreira, quero sempre jogar um futebol vistoso, bonito, fazer muitos gols. Meu sonho é jogar uma Copa do Mundo com o Brasil. Quero realizá-lo. E, no Botafogo, eu tenho um sonho de ganhar muitos títulos. Dar alegria aos torcedores alvinegros, porque o Botafogo foi um clube que sempre me apoiou, que abriu as portas do futebol pra mim. Então, não poderia retribuir de forma diferente. A melhor maneira de agradecer ao Botafogo por tudo que eles fizeram é marcar muitos gols e fazer a torcida, tão apaixonada pelo clube, feliz.

Fonte: Site da Rádio Tupi