Jogador do Botafogo de 2007 a 2010 e um dos nomes mais lembrados da equipe que ficou conhecida como Carrossel Alvinegro, o agora ex-volante Leandro Guerreiro pendurou as chuteiras em 2016 e hoje é técnico da equipe sub-14 do Cruzeiro. Sua grande inspiração não poderia deixar de ser outra: Cuca.

Máscaras do FogãoNET para torcedores do FogãoNET durante a quarentena da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)

Sob o comando de Cuca, Leandro Guerreiro teve suas melhores atuações no Botafogo. Ele foi contratado junto ao Criciúma por indicação do treinador e falou com muito carinho do ex-comandante.

– Aquele Botafogo tinha a cara de Cuca. Ele sempre gostou muito de trabalhar e de cobrar também, mas é um cara parceiro, acabava o treino e dava risada com a gente. Me inspiro muito nele. Aprendi muito com ele. Se eu conseguir os títulos que ele conseguiu e passar o que ele passava para os jogadores ficarei muito feliz, é um exemplo para mim – contou Leandro ao “AM Canal”, do jornalista André Marques.

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo | Cupom de 10% de desconto

Leandro Guerreiro confirmou um episódio bastante curioso na temporada de 2007, quando o Botafogo enfrentou o Sport Recife na Ilha do Retiro (empate em 3 a 3, com hat-trick de André Lima) e pendurou um coração de boi sangrando nos vestiários do estádio.

– Quando entramos no vestiário, vimos um coração pingando, pendurado numa corda amarrada no teto. Pingando sangue mesmo. Pensei: “O que que é isso? Cuca deve estar maluco!” Só que aquilo mexe com a gente, com o nosso brio. Ele sempre foi um cara incentivador, com muita garra, como foi quando era jogador. Ele motiva, coloca o jogador sempre 100% para entrar em campo – relembrou o ex-volante.

Assista ao vídeo da entrevista:

Fonte: Redação FogãoNET e AM Canal