A Portuguesa estava há quase cinco meses sem entrar em campo de forma oficial. Porém, um dos atletas da equipe da Ilha possuia um jejum maior. O volante Lucas Zen enfrentava um período de mais de um ano sem atuar. Contra o America, o jogador foi titular e ajudou na conquista da vitória por 1 a 0, no Giulite Coutinho, pelo jogo de ida das oitavas-de-final da Copa Rio. Lucas ressaltou a importância de voltar a jogar uma partida e traçou a meta de passar de fase para adquirir uma maior sequência.
– É muito importante para mim. A Portuguesa abriu as portas e me deu essa oportunidade de jogar. Estou trabalhando firme e sério para poder retomar, já que no estadual eu acabei não jogando. Há mais de um ano, praticamente, que eu não entrava em campo. A última vez foi em maio de 2017, pelo Brasiliense (DF). Espero que a gente passe de fase, para que eu possa pegar uma sequência de jogos e trazer mais confiança – disse.
Depois de largar com vantagem para cima do America no confronto, Lucas Zen avaliou a postura e a organização implantada pelo treinador Rogério Corrêa. Além disso, o volante não negou a dificuldade encontrada ao enfrentar um adversário em plena forma física.
– A importância é grande, fizemos um a zero fora de casa. Agora, jogaremos onde conhecemos mais o campo. Realmente foi um pouco difícil a questão do ritmo de jogo. O America vem jogando a segunda divisão do carioca, então estão com ritmo. Mas a gente conseguiu superar, com a organização que o Rogério implantou no time, acho que a gente conseguiu encaixar bem e não sofremos tanto. Mas, realmente, faz um pouco a diferença, a perna ainda tem que firmar um pouco mais, isso é normal. A partir do terceiro jogo, praticamente, que isso melhora – frisou.
O jogo de volta do confronto ocorre apenas no dia 22 de agosto e, mesmo com a vantagem, Lucas não quer que a Portuguesa jogue pensando nisso, mas que busque controlar a posse de bola e esteja atenta, para ampliar o resultado somado.
– A gente sabe que tem a vantagem, mas não podemos jogar de acordo com ela. A gente tem que jogar no esquema que o treinador vem querendo, que é com posse de bola, jogando futebol realmente. Não podemos nos apoiar em cima do um a zero, se não a gente acaba sendo prejudicado ao longo do jogo. É uma questão de que qualquer bola parada pode tirar essa vantagem. Temos que voltar atentos e ligados – concluiu o volante.
Portuguesa e America se enfrentam na quarta-feira (22), no Estádio Luso-Brasileiro, às 15h. O Placar FutRio acompanha em tempo real.
Fonte: FutRio