Abreu foi ‘pedra no sapato’ para Oswaldo implantar sistema

Compartilhe:

Logo que chegou ao Botafogo, em janeiro de 2012, Oswaldo de Oliveira afirmou que, em razão da nova estratégia que desejava implantar, sua equipe não atuaria em função de uma jogada apenas. No caso, ele se referia ao excesso de bolas cruzadas na área, que buscavam encontrar o uruguaio Loco Abreu, no alto de seus 1,93m.

O grande ídolo da torcida, mas que não passava por uma boa fase. Para piorar, convivia com problemas físicos. Foi a deixa para que Oswaldo de Oliveira tivesse motivos para fazer sua vontade de armar um time com outra cara valer.

Loco perdera espaço e se tornara reserva. A briga com a torcida tinha sido comprada. A cada tropeço ou partida ruim, lá vinham os gritos da arquibancada, que clamavam pela volta do uruguaio.

Inicialmente, o camisa 13 aguardou, acreditando que retomaria seu lugar a qualquer momento. No entanto, as chances eram cada vez mais diminutas. Até que o gringo deixou o clube e nunca mais voltou a General Severiano.

Fonte: Lancenet!

Comentários