Loco completa 1 ano fora do Botafogo esquecido e sem clima

Compartilhe:

 A distância não fez bem à relação entre Loco Abreu e Botafogo. Há exato um ano longe de General Severiano, o uruguaio já não tem mais clima no clube, principalmente após farpas trocadas publicamente com o técnico Oswaldo de Oliveira. Nem mesmo a torcida alvinegra – velha aliada do camisa 13 – tem lembrado do jogador nos estádios.

No dia 6 de julho de 2012, Loco Abreu se despedia do Botafogo rumo ao Figueirense, por empréstimo de 18 meses. Na ocasião, o presidente Maurício Assumpção chegou a falar que o atleta voltaria ao Alvinegro em janeiro de 2014 para cumprir os últimos seis meses de seu contrato. Porém, o vínculo foi rescindido para que o uruguaio voltasse ao Nacional-URU e um retorno ao Rio parece muito distante.

Curiosamente, Loco deixou o Botafogo em busca de espaço, mas recebeu poucas oportunidades no Figueirense e no Nacional-URU. Nos últimos 12 meses, ao todo, o jogador atuou 19 vezes pelas duas equipes, exatamente o mesmo número de oportunidades dadas por seu hoje desafeto Oswaldo de Oliveira no primeiro semestre de 2012.

A troca de farpas com o comandante foi um capítulo à parte neste primeiro ano de Loco fora do Botafogo. Embora tenha pedido por conta própria para deixar o clube por não ser titular absoluto com Oswaldo, o uruguaio culpou o treinador por sua saída. A polêmica fazia com que o nome de Abreu não deixasse os corredores de General Severiano. Por diversas vezes a torcida alvinegra gritou o nome do atacante para provocar o técnico, o que aumentou ainda mais o mal-estar entre os dois.

Após o apoio inicial, os próprios torcedores deixaram de gritar o nome do centroavante a todo momentos nos jogos.  A boa fase do time nos gramados, com a conquista do Carioca, e o crescimento de produção de Rafael Marques são alguns dos motivos. O fato é que a sombra do uruguaio já não incomoda os atacantes do Botafogo, que já sofreram muito com a lembrança do autor do gol do título estadual de 2010.

“Só a torcida que comprava essa briga. Mas é um momento que passou, conseguimos dar a volta por cima. Acabou a história de Loco Abreu para lá, Loco para cá. Está marcado na história do clube, é um ídolo, mas passou”, disse Rafael Marques sobre o atacante.

A falta de clima para um retorno de Loco Abreu é notória entre atletas e comissão técnica do Botafogo. A análise geral é de que o atacante tentava “cavar” sua volta e jogava a torcida contra os jogadores que permaneceram em General Severiano. A recusa do atleta em ser reserva também não agradou nem um pouco os ex-companheiros.

Fonte: UOL

Comentários