Após o recesso para a Copa do Mundo, o Botafogo tem sofrido com a falta de pontaria. Desde as partidas contra o Corinthians, a situação se repete: o Alvinegro cria muitas oportunidades, mas mostra muita dificuldade em colocar a bola nas redes. A conta chegou e não é nada barata.

Neste período, sete jogos foram disputados e o Botafogo sofreu quatro derrotas, conquistou uma vitória e ainda empatou em duas oportunidades. A maioria desses duelos ocorreu sob o comando de Marcos Paquetá, que já foi demitido e deu lugar a Zé Ricardo.

Neste recorte, o Botafogo marcou apenas três gols, contra Chapecoense, Nacional-PAR e Paraná. Fica clara a relação direta entre a eficiência em campo com a fase da equipe, que se aproxima da zona de rebaixamento.

Mesmo com a chegada do novo comandante, a situação se repetiu no último domingo, quando o Botafogo sofreu gol de empate aos 51min do segundo tempo e só empatou com o lanterna Paraná.

A história do último jogo foi bem simples. Melhor time, o Botafogo dominou o Paraná, mas perdeu inúmeras chances de matar a partida. Luiz Fernando perdeu dois gols idênticos (um deles estava impedido). Leo Valencia e Rodrigo Pimpão completam a lista. Isso sem contar as boas finalizações defendidas pelo goleiro Richard.

“Gostei da postura. A equipe se postou bem, soube sair em bons momentos, com chances de finalizar já no primeiro tempo. No segundo, pelas expulsões, teve mais espaço para contra-ataques. A gente teve a oportunidade de fazer o segundo, mas acabou tomando o gol no final. Jogar fora, mesmo com o Paraná na posição que ocupa, produzindo mais… A gente sabia que era um jogo difícil. Gostinho de decepção pela forma que foi, mas apresentamos bons sinais”, analisou Zé Ricardo.

Com o resultado, o Botafogo chega aos 22 pontos e fica na 10ª posição no Campeonato Brasileiro. O Alvinegro volta a campo na quinta-feira, quando receberá o Nacional-PAR pela Sul-Americana.

Fonte: UOL