Meias se tornam artilheiros, e time joga como Oswaldo desejou

Compartilhe:

A conquista de um título não foi a única mudança do Botafogo deste ano em relação ao do ano passado. Agora, o 4-2-3-1 de Oswaldo de Oliveira, que foi duramente criticado e quase posto de lado, mostra eficiência e o treinador colhe os frutos do seu trabalho e da insistência que teve com a tão criticada tática.

A principal mudança se reflete na evolução dos meias – principal engrenagem da tática de Oswaldo – na participação dos gols do Alvinegro. O artilheiro da equipe em 2013 é o uruguaio Lodeiro, com dez gols, seguido de perto por Seedorf – outro apoiador – e Rafael Marques, centroavante que por vezes recua para o meio de campo, ambos com oito gols marcados.

No ano passado, a artilharia do Glorioso ficou dividida entre os centroavantes Elkeson, Herrera e Loco Abreu, com 18, 15 e 12 gols, respectivamente. Por outro lado, os meias não faziam gols com tanta frequência. Tanto que o principal jogador de meio-campo na tabela de artilheiros foi o holandês Seedorf, que estreou no somente segundo semestre.

– Acho que se você ficar ali na frente parado, se torna um jogador mais fácil de ser marcado. Nos últimos dois jogos finalizei pouco, mas ajudei na marcação e dei passe para o  gol (contra a Ponte Preta). Isso que é o principal. Sempre falo que o importante é ajudar o Botafogo – afirmou o atacante Rafael Marques, que já fez dois gols no Campeonato Brasileiro deste ano, em entrevista à Rádio Brasil.

Durante o Brasileirão do ano passado, – criticado – Oswaldo chegou a admitir uma mudança de esquema e usar dois atacantes de ofício na equipe. Hoje, com o bom momento do Botafogo, pouco se ouve esse pedido. Sintoma que a “teimosia” de Oswaldo de Oliveira deu certo.

Fonte: Lancenet!

Comentários