Na teoria, a missão do Botafogo na Sul-Americana é complicada. O futebol, porém, dá exemplos, praticamente mensalmente, de que a lógica pode ficar de fora das quatro linhas. Após perder por 1 a 0 no jogo de ida, o Alvinegro entra em campo nesta quarta-feira para enfrentar o Atlético-MG, às 21h30, na Arena Independência. A partida terá transmissão do DAZN.

‘Esse jogo vai virar, eu quero ser o vencedor!’
⬇ Não perca Atlético-MG x Botafogo! ⬇
Acredite na virada AO VIVO e DE GRAÇAComo assistir Atlético-MG x Botafogo ao vivo pela Copa Sul-Americana

Além do revés sofrido diante do seu torcedor, o Botafogo ganhou um sério desfalque para a partida decisiva. A equipe comandada por Eduardo Barroca vai entrar em campo com um zagueiro atuando de forma improvisada, já que Gabriel, emprestado pelo Atlético-MG, só joga mediante pagamento de multa, Joel Carli foi expulso no duelo do Rio de Janeiro e Kanu não está inscrito.

Placar adverso, improvisação na defesa, partida longe de casa… Os elementos não são favoráveis ao Botafogo, mas o elenco e a comissão técnica adotaram uma postura de confiança desde a primeira partida. Para avançar, o Alvinegro terá que, obrigatoriamente, marcar gols. O time deu fim ao jejum sem balançar as redes desde a última rodada antes da Copa América, contra o Grêmio, no último domingo, contra o Flamengo, além de apresentar evolução ofensiva.

Apesar de ter sido vazado em três oportunidades, o time de Eduardo Barroca voltou a criar chances e assustar o goleiro adversário. Contra o Atlético-MG, este fator será essencial, mas João Paulo, em entrevista coletiva, afirmou que a preocupação e esforço com a marcação também serão imprescindíveis.

– Temos que ter um equilíbrio na marcação, é o principal que conversamos. Estar perto um do outro, seja marcação alta, baixa, marcando sempre o homem da bola. Apos abrirmos o placar no clássico contra o Flamengo, pecamos nisso e recuamos até demais. Estávamos sendo efetivos na marcação mais adiantada. São aprendizados para o jogo – analisou.

Não para menos, o Botafogo vai entrar em campo com o pensamento de que é possível reverter o placar negativo da primeira partida. Para isto, é necessário, primeiro vencer, algo que não ocorre há cinco jogos. Por conta do critério do gol qualificado fora de casa, um resultado positivo do Alvinegro leva a decisão para, pelo menos, a disputa de pênaltis – e, neste contexto, a estrela de Gatito Fernández pode brilhar.

Fonte: Terra