Na China, mais focado Elkeson faz lobby por Conca no Botafogo

Compartilhe:

 Em pouco mais de cinco meses, o atacante Elkeson diz estar adaptado às mudanças que a transferência para a China promoveu em sua vida. Ao lado do argentino Dario Conca, o ex-jogador do Botafogo é um dos nomes mais importantes do Guangzhou Evergrande e se vira como pode para lidar com os desafios de morar no país asiático. O camisa 9 tem a companhia de um amigo – que o ajuda nas tarefas fora de campo e a manter o preparo físico – e não dispensa o tradicional jeitinho brasileiro para burlar algumas regras da nação mais populosa do mundo, como uma maneira alternativa para acessar o Facebook.

Elkeson chegou à China e soube que não poderia se conectar à rede social de lá. Porém, ele contou com a ajuda do companheiro Muriqui, com passagens por Vasco e Atlético-MG, para evitar a proibição. Através de um site pirata, o atacante mantém contato com fãs e familiares. A falta de opções para se divertir na China, de acordo com Elkeson, também o ajuda. O jogador admite que se concentrou mais em seu trabalho após chegar ao Guangzhou Evergrande.

Sempre conectado, Elkeson usa uma maneira nada tradicional para ter acesso às redes sociais na China. Seu escudeiro Muriqui o ajudou na tarefa. “Aqui, não consigo ter acesso à TV brasileira pela internet. Não consigo acompanhar MMA, por exemplo, que gostava muito. O Facebook também é complicado, mas o Muriqui me ensinou um jeito de ter acesso. Aos poucos, vou me adaptando ao jeito deles”, comentou o atacante, que tem livre acesso ao Twitter e costuma usá-lo com frequência.

O camisa 9 do time comandado pelo técnico campeão mundial Marcello Lippi ressaltou a importância de ter Muriqui e Conca ao seu lado nestes primeiros cinco meses. “Estou sempre com eles. Muriqui é meu vizinho e estamos sempre conversando, um na casa do outro. Ele está sempre perto de mim para me ajudar”, lembrou o jogador, em entrevista por telefone ao UOL Esporte.

Além do brasileiro e do argentino, o atacante conta com a ajuda do amigo Alex. Elkeson o conhece desde os tempos de Vitória, clube que o formou. Na China, Alex tem a missão de realizar as tarefas do dia a dia para o atleta e o ajudar na alimentação e nos exercícios quando está fora do clube. Sem as tentações do Rio de Janeiro ou da Bahia, o amigo consegue colocar Elkeson na linha.

ELKESON: AMIZADE COM CHINESES E LOBBY PARA CONCA REFORÇAR BOTAFOGO

Apesar dos problemas com idioma, Elkeson diz que já conseguiu fazer amigos no Guangzhou Evergrande. Além de Muriqui e Conca, apenas o paraguaio Lucas Barrios é estrangeiro no elenco do clube. Para se aproximar dos chineses, o ex-botafoguense diz que exagera nas brincadeiras. “A relação com os chineses é ótima. Sou muito bem recebido pelos companheiros de time, por ser brincalhão. É uma amizade muito boa e me dou bem com todos. Tenho liberdade para brincar com todos”, explicou.

As piadas também são direcionadas a Conca, que tem contrato até o fim deste ano com o time chinês e interesse em retornar ao Brasil. Elkeson fala, em tom irônico, que o meia argentina deveria deixar o Fluminense de lado para assinar com o Botafogo. “Com certeza, ele voltará para o Rio. Tem muita saudade, a mulher dele é de lá. Comentei com ele, para quem sabe jogar no Botafogo”, lembrou o atacante, que não vê a chance do seu lobby se tornar realidade. “Ele tem um carinho muito grande pelo Fluminense”.

“Hoje sou mais profissional. Cuido da minha alimentação, faço musculação fora do clube. Alex me ajuda muito nisso. Eu consigo descansar bastante e treinar bem. Hoje consigo me alimentar muito melhor, porque na China não existem as opções que tem no Brasil. Aqui é mais carne de peixe e de frango”, complementou Elkeson, que admitiu ter aprendido a se concentrar mais na carreira.

“Acho que consigo me preparar melhor aqui. Vou levar isso para o resto da minha carreira. Aprendi muito no Botafogo, com jogadores como Renato. Mas aqui também estou melhorando muito. Coloco tudo em prática e vou continuar assim, pois está dando certo”, destacou Elkeson.

Sem muita diversão no dia a dia, a solução é contar com a visita da namorada e viagens ao Brasil em semanas de folga para fugir da rotina. “A minha namorada esteve recentemente aqui. Eu também já voltei ao Brasil e visitei todo mundo. Sou muito apegado à minha mãe e teve muito choro na hora de ir embora. Isso faz parte da vida, é normal”, finalizou.

Fonte: UOL

Comentários