Renan diz que parada não fará ritmo cair: ‘Voltaremos com tudo’

Compartilhe:

Uma das maiores críticas ao calendário do futebol brasileiro é o pouco tempo destinado à pré-temporada. Por isso, a paralisação do Campeonato Brasileiro para a realização da Copa das Confederações agradou, em parte, jogadores e comissões técnicas por todo o país. No Botafogo não é diferente. O goleiro Renan enalteceu o período para intensificar os treinamentos, mas também salientou que o grande período sem jogos pode ter atrapalhado do ritmo da equipe, que vinha fazendo boa campanha e está na terceira posição.

– Nosso time vinha bem. Ter sequência seria bom, mas também tem o lado positivo da parar, podemos ajustar algumas coisas. O Oswaldo está tendo este tempo, e é importante também para recuperar os machucados. Daqui para frente será uma pedreira em cima da outra. Vamos voltar com tudo para conseguir nosso objetivo – disse.

A briga por uma vaga na equipe titular tem sido intensa no clube. O fato ficou evidente no treinamento desta quarta-feira, em Moça Bonita, quando os reservas derrotaram com facilidade por 4 a 2 os titulares. No entanto, Renan enxerga o resultado de forma positiva.

– Cada treino é um treino, uma condição diferente. O Oswaldo está observando e cabe a ele decidir quem joga. Neste coletivo ele pôde saber que todos estão em condições, tanto os titulares quando os reservas – afirmou.

Renan aprova Moça Bonita como opção

O Botafogo enfrenta o Figueirense, no dia 3 de julho, no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, pela Copa do Brasil. Com o Engenhão interditado, o clube vai precisar mandar os jogos longe do Rio de Janeiro. Na visão de Renan, com algumas mudanças estruturais, o estádio de Moça Bonita, em Bangu, Zona Oeste do Rio, seria uma boa alternativa para o Glorioso.

– Achei legal (Moça Bonita). É bom treinar aqui, o campo está bom e existe o carinho da torcida também. Para jogar aqui teria que fazer algumas reformas, principalmente na iluminação. Ajustando isso, acho que tem condições de mandarmos jogos aqui no futuro – disse o goleiro, que, assim como Seedorf, foi assediado pelos jovens da base do Bangu que acompanharam o treinamento.

Fonte: Globoesporte.com

Comentários