Ribamar surgiu como um foguete na equipe do Botafogo no Campeonato Carioca e com apenas seis meses na equipe profissional já deixava o Brasil rumo ao Munique 1860, da Alemanha, em junho. O jovem de 19 anos rendeu cerca de R$ 9 milhões aos cofres cariocas.

Mesmo disputando a segunda divisão do Campeonato Alemão, ele não teme ficar fora dos principais centros do futebol no mundo ou sumir de futuras convocações para as seleções de base.

“Não tenho esse medo de ficar escondido. Quero daqui progredir e buscar uma situação boa para minha família financeiramente. O objetivo é colocar o time na primeira divisão e disputar a Bundelisga”, disse o atacante, ao ESPN.com.br.

“O nível do campeonato é muito forte e competitivo. Não tenho jogado muito porque estou me recuperando uma lesão. Esse semestre quase não joguei, mas tenho a expectativa de jogar mais vezes em 2017”.

Além disso, Ribamar precisa também se adaptar ao novo país. “A maior dificuldade no começo foi com idioma, a cultura e costumes diferentes. O frio nesta época do ano nesta época do ano. São muitas coisas para superar, mas estou me virando bem”.

O clube de Munique disponibiliza aulas de alemão e o jovem procura estudar para facilitar a estadia no lugar.

“Minha mãe passou um tempo comigo aqui, mas precisou voltar por causa do trabalho. Mas tem os companheiros brasileiros de equipe, além de alguns amigos, que ajudam a não ficar sozinho”.

O garoto criado na comunidade de Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, chegou em 2011 nas categorias de base do Botafogo. Após se destacar em treinos na pré-temporada deste ano, foi chamado pelo técnico Ricardo Gomes para integrar o elenco.

Em 34 partidas pelo time alvinegro, ele marcou quatro gols, sendo dois deles contra Fluminense. Após o vice-campeonato Carioca, Ribamar foi negociado para o Munique 1860.

“Não acho que a minha saída tenha sido tão precipitada assim. Foi uma oportunidade boa que apareceu. Era um negócio vantajoso para o clube também”.

O atacante acompanha muito seu ex-clube pela internet e vibrou com a classificação para a Copa Libertadores da América de 2017.

“Sempre sinto saudades, foi um grande momento na minha carreira. Foi o clube que deu projeção e acompanhe o campeonato. Vi todo o Brasileiro e fiquei feliz com a campanha”.

Fonte: ESPN.com.br