Depois de contratar o japonês Keisuke Honda e chegar perto de acertos com Yaya Touré e Obi Mikel, o Botafogo se mantém no mercado da bola em busca de uma nova grande estrela internacional para o elenco. A bola da vez é o holandês Robben, aposentado desde julho de 2019.

Aos 36 anos, o ex-jogador já tem conhecimento do interesse do time do Rio de Janeiro, teve suas redes sociais “invadidas” por comentários de torcedores pedindo sua contratação e chegou a declarar que está com saudades do futebol. Apesar de tudo isso, sua chegada é vista como improvável.

Diante desta dúvida, o UOL Esporte preparou uma lista de dez grandes nomes internacionais que negociaram com clubes brasileiros nos últimos anos ou décadas. Alguns foram contratados, outros “deram o cano”. Você se lembra deles?

Quem jogou aqui

Tévez

Argentino bancado pelo fundo MSI é até hoje a compra mais cara da história do futebol brasileiro, em valores corrigidos. Ele trocou o Boca Juniors pelo Corinthians no fim de 2004 e saiu no meio de 2006. Foram 78 jogos, 46 gols e o título do Campeonato Brasileiro de 2005.

Seedorf

Em junho de 2012, o holandês Seedorf assinou contrato de duas temporadas com o Botafogo. Ex-Real Madrid, Inter de Milão e Milan, ele tinha 36 anos, estava sem clube e era casado com uma mulher nascida no Rio de Janeiro e torcedora do Botafogo, o que facilitou as conversas. Ele deixou o clube em janeiro de 2014, após 24 gols em 81 partidas, como campeão carioca de 2013 e vaga na Libertadores após 17 anos.

Forlán

Em julho de 2012, o Internacional anunciou a contratação do atacante uruguaio Diego Forlán – ex-Manchester United, Atlético de Madri e Inter de Milão, ele havia sido eleito como o melhor jogador da Copa do Mundo dois anos antes. Ele rescindiu em janeiro de 2014 depois de 22 gols em 55 partidas.

Juanfran

Em agosto do ano passado, o São Paulo surpreendeu na contratação do lateral-direito espanhol Juanfran. Aos 34 anos, ele estava livre no mercado após deixar o Atlético de Madri e topou o desafio de atuar no futebol brasileiro dias após o clube contratar Daniel Alves. Ele tem vínculo até o fim deste ano e fez 26 partidas.

Honda

Em janeiro de 2020, o Botafogo anunciou com pompa a contratação do meia japonês Honda, ex-CSKA e Milan e com três Copas do Mundo no currículo. A mobilização de torcedores pela contratação foi fundamental e o vínculo é de um ano. Após recuperar-se fisicamente, ele só conseguiu atuar uma vez antes da paralisação do Campeonato Carioca por causa da pandemia do novo coronavírus: ele fez gol em um empate em 1 a 1 com o Bangu.

Quem deu o cano

Maradona

Considerado como um dos maiores jogadores de todos os tempos, Maradona chegou a conversar com o Santos em 1994. Ele ainda cumpria pena por doping na Copa do Mundo, aceitou negociar e se animou com a possibilidade, de acordo com relatos da época. No fim os brasileiros desistiram por questões financeiras e ele acabou indo para o Newell´s Old Boys, da Argentina. Especula-se, ainda, que no início de sua carreira foi oferecido e rejeitado pela Portuguesa.

Beckham

Meio-campista inglês chegou a ser alvo de Palmeiras e Botafogo em projetos com patrocinadores. Mas encerrou a carreira no Paris Saint-Germain. O São Paulo também chegou a ser especulado como destino do jogador, aposentado desde 2013.

Anelka

Em abril de 2014, o então presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil (hoje prefeito de Belo Horizonte), anunciou nas redes sociais a contratação de Anelka, ex-jogador de PSG, Arsenal, Real Madrid, Liverpool, Chelsea e Juventus, então sem clube aos 35 anos. O problema é que o atacante francês nunca viajou para Belo Horizonte, vestiu a camisa do Galo e jogou pela equipe. O jogador chamou a diretoria atleticana de amadora.

Schweinsteiger

Em novembro de 2016, o técnico Dorival Júnior sugeriu à diretoria do Santos a contratação do meia alemão, então sem espaço no Manchester United. O clube brasileiro fez contato com os ingleses, mas descobriu que o salário mensal de Schweinsteiger era R$ 2,5 milhões e desistiu. O alemão foi para o Chicago Fire, dos Estados Unidos, em 2017, e se aposentou no ano passado.

Drogba

Em janeiro de 2017, o Corinthians teve negociações avançadas com o atacante marfinense, então com 38 anos. O clube brasileiro ofereceu diversas regalias, como carro de luxo e tradutor 24h por dia, além do maior salário do elenco, mas o ex-jogador do Chelsea recusou e foi jogar nos Estados Unidos. O Corinthians, na época, emitiu uma carta de agradecimento pelas negociações com o título “Valeu, Drogba” e a negociação frustrada é motivo de zoeira até hoje.

Fonte: UOL