O domínio da Rede Globo no cenário do futebol brasileiro pode estar com os dias contados. O Esporte Interativo é a grande ameaça e tem acordo com nove clubes para transmitir o Campeonato Brasileiro a partir de 2019 na TV fechada. Durante participação no programa “Esporte em Discussão”, da Rádio Jovem Pan, nesta terça-feira, o presidente do Santos, Modesto Roma Jr, revelou que é grande a pressão da emissora carioca, atual detentora dos direitos, contra os clubes interessados em assinar contrato com o ascendente canal do grupo Turner.

“É forte a pressão. Vem de onde vem. Estou aceitando a proposta do Esporte Interativo, que é da Turner. Vamos em frente. Mas é logico que eu e os presidentes dos outros clubes já fomos chamados a um jantar. Eu falei: ‘veja o que vocês vão fazer, somos parceiros a tanto tempo’. É um momento realmente que a gente tem que enfrentar. Vai ser fácil? Não. Vamos ser criticados, crucificados, vão ser anos de chumbo para nós”, previu.

“Tenho mais dois anos à frente do Santos. Se quiser xingar, xingue, se quiser denegrir, denigra. Eu vou à luta. Tenho um clube o qual tenho que dar satisfações. Não tenho que caminhar para agradar ninguém, tenho que fazer o melhor que for para o meu clube”, completou.

Modesto confirmou que o Esporte Interativo já tem negociações avançadas com nove clubes: Inter, Grêmio, Coritiba, Atlético-PR, Santos, Fluminense, Bahia, São Paulo e Flamengo.

O mandatário alvinegro ainda mostrou o seu descontentamento com o artigo 42, da Lei Pelé, que diz que os direitos de transmissão pertencem as entidades de práticas desportivas (clubes).

“Está na hora de a lei mudar. O direito de transmissão deve ser do mandante e não dos dois. Aí a coisa melhora muito”, concluiu.

O EI propôs um contrato de R$ 600 milhões aos clubes. De acordo com o site da ESPN, o valor seria distribuído seguindo o modelo da Premier League e com cláusula ‘anti-Corinthians’, com a finalidade de evitar a concentração de jogos de apenas um clube na televisão.

Fonte: Torcedores.com