Sem Engenhão, Botafogo vê público cair 62% em Volta Redonda

Compartilhe:

A falta que o Engenhão faz ao Botafogo foi traduzida em números. O Alvinegro teve uma queda de 62% na média de torcedores nos dois primeiros jogos da equipe no Campeonato Brasileiro, disputados em Volta Redonda, em relação ao mesmo período na competição da temporada passada, realizados no Estádio Olímpico João Havelange.

Nas vitórias sobre Santos e Cruzeiro, no Raulino de Oliveira, o Botafogo teve uma média de público pagante de 1.935 torcedores. O número é 62% menor em relação aos dois primeiros confrontos de 2012, quando bateu o São Paulo e foi derrotado pelo Cruzeiro, no Engenhão. Na oportunidade a média foi de 5.046 pagantes.

“A gente ouve falar de torcedores que o deslocamento até Volta Redonda é muito complicado. Jogos às 22h são praticamente inviáveis para a maioria. Com certeza, até pelo bom momento do time, temos tido poucos torcedores no estádio por não termos nossa casa, o Engenhão”, disse o zagueiro Bolívar.

E nem mesmo a campanha 100% no Raulino de Oliveira será suficiente para manter o Botafogo no local. O clube está em negociação com o consórcio do Maracanã para fechar um contrato durante o tempo que ficará sem o Engenhão, interditado pela Prefeitura do Rio até 2015 para obras em sua cobertura.

A Odebrecht é uma das responsáveis pela construção do Engenhão, mas também faz parte do consórcio do Maracanã. Assim, o Alvinegro pressiona a empresa para conseguir um bom desconto para assinar um acordo para jogar no estádio, que será utilizado na Copa das Confederações e Copa do Mundo.

O Botafogo está confiante no acerto e espera assinar um contrato que alivie sua crise financeira ampliada após a interdição do Engenhão. A expectativa é que o acordo seja confirmado durante a Copa das Confederações. O Alvinegro volta a campo no dia 3 de julho, quando receberá o Figueirense no primeiro jogo da terceira fase da Copa do Brasil.

Fonte: UOL

Comentários