Desde que chegou ao clube – no começo deste ano – João Paulo só disputou decisões pelo Botafogo. Dos cinco jogos em que esteve em campo, quatro foram pela Libertadores e um no clássico contra o Flamengo, pelo Carioca. Até por isso, o meia esteve mais preso a função pedida por Jair, ficando mais tímido nas ações ofensivas alvinegras. Ele projeta, agora, uma maior sequência na frente. Mas, sempre, dependendo do que for pedido pelo comandante.

– Essas questões táticas ficam à critério do Jair e da comissão. Se vou manter a posição que estou jogando ou não… atuei em cinco jogos, que foram decisivos e de grande peso. Mas sabemos que não tem moleza no futebol. A meta é estar sempre melhorando e em evolução para conseguir o lugar na equipe – disse o jogador, que ainda lembrou que fazer gols não é bem sua característica:

– Não é minha especialidade fazer muitos gols. O último foi contra o Sport, no Brasileiro, em outubro, quando ainda jogava no Santa Cruz. Minha meta é ajudar o time com vitórias e estar entre os 11. Isso depende do que o Jair pensa de cada jogo. Me sinto bem como terceiro ou quarto homem do meio-campo. Cabe ao técnico escolher o que for melhor – completou João Paulo.

Na ausência de Montillo, o meia acabou sendo titular na classificação sofrida contra o Olimpia-PAR, nos pênaltis, pela Libertadores. João Paulo chegou no Botafogo depois de se destacar por duas temporadas com a camisa do Santa Cruz. O Glorioso pagou ao time pernambucano R$ 3 milhões pelo seu passe.

Fonte: Terra