Destaque da arrancada do Botafogo do Z-4 ao G-6, Sidão tinha a renovação de contrato com o clube carioca encaminhada, mas a proposta do São Paulo fez o goleiro decidir atuar pelo Tricolor em 2016.

Indicado por Rogério Ceni, novo treinador são-paulino, o arqueiro revela que ficou impressionado com a informação de que o maior goleiro da história do São Paulo tem grande admiração por seu futebol.

“Estou muito lisonjeado pela admiração do Rogério. Lógico que precisa oficializar isso aí para falar como atleta do São Paulo, mas estou muito feliz pelo prestígio que ele teve por mim. Espero que se concretize logo para a gente poder trabalhar junto”, comentou Sidão à Gazeta Esportiva, após o jogo beneficente no Estádio Prefeito José Liberatti, em Osasco.

A decisão de trocar o Botafogo classificado para à Libertadores pelo São Paulo que aposta no projeto de Rogério Ceni foi difícil, conta o goleiro. Porém, a escolha pelo Tricolor envolveu a proximidade com a família.

“Eu nunca joguei a Libertadores (O Botafogo está classificado). Isso foi uma das coisas que pesou na balança. Mas eu era atleta do Audax (dono dos direitos econômicos até o meio do ano que vem), estava cumprindo o contrato de empréstimo. Voltar para São Paulo e reencontrar minha família também pesou na balança”, explicou, sem deixar de ressaltar sua melhor temporada como atleta.

“Sem sombra de dúvidas é o melhor momento e o mais importante da minha carreira. Tudo que eu vivi pelo Audax, depois pelo Botafogo. Primeiro o Audax que era cotado como um time pequeno e fomos para a final do Paulistão. Depois um time considerado com risco de rebaixamento e que terminou na Libertadores. Foi maravilhoso para mim”, concluiu.

Fonte: Torcedores.com