Uma das contratações do Botafogo para a temporada, o goleiro Diego Cavalieri chegou ao clube com o status de “reserva de luxo” de Gatito Fernández, ídolo da torcida e titular absoluto do Bota e da seleção paraguaia.

Fato é que o jogador tem aproveitado as brechas e atuado muito bem quando acionado. Na derrota por 1 a 0 para o Palmeiras, o estrago teria sido muito maior sem ele. Não fossem ao menos cinco defesas de alto grau de dificuldade, o time poderia ter saído goleado. Ele também havia correspondido na vitória sobre o Goiás.

“A gente trabalha com o intuito de ajudar, sabemos como é difícil, não estou jogando o tempo todo. Temos de estar prontos para corresponder. Estávamos bem no jogo, acabamos tomando gol no detalhe. O time lutou, mas sabemos que nossa situação é delicada”, disse ele ao “Premiere”.

A resposta do jogador surge justamente em um momento no qual as críticas a Gatito ganharam corpo, especialmente após o vazamento de áudios de Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente do clube. Dentre outras coisas, o ex-dirigente, que ainda atua nos bastidores do clube, afirmou que Gatito vive má fase.

“Em 2020 eu não gostaria de ninguém desse plantel. Ninguém. Como titular, ninguém, nem técnico e nem nada. Inclusive o Gatito, que tem falhado um jogo atrás do outro. O ideal seria começar do zero. Do técnico ao ponta-esquerda”, disse Montenegro.

Apesar de Montenegro ser uma opinião de peso em General Severiano, o panorama não deverá sofrer uma mudança a curto prazo. Tão logo voltar dos amistosos do Paraguai, Gatito irá reassumir a posição. Cavalieri, por sua vez, ganhou créditos importantíssimos e deve ter seu contrato renovado. O acordo atual vai até o fim deste ano. Com o time em 12º lugar, o goleiro pediu que a equipe faça a pontuação necessária o quanto antes e elogiou a entrega geral:

“Vamos tentar somar pontos para ter tranquilidade. Temos dificuldades, mas dentro de campo esse grupo se dedica muito”.

O Bota volta a campo na próxima quarta-feira (16) para encarar o rival Vasco, 21h30, em São Januário.

Fonte: UOL