O Atlético Nacional fez uma temporada memorável em 2016. Além do título da Copa Libertadores – o segundo da história do clube -, também foi campeão da Superliga e da Copa da Colômbia.

Soma-se à lista de conquistas a participação no Mundial de Clubes da Fifa, competição que finalizou na terceira colocação, e o fato de ter sido finalista da Copa Sul-Americana, apesar de o jogo não ter acontecido por conta do acidente com a delegação da Chapecoense.

Os ótimos resultados fizeram do clube um sucesso, mas também trouxeram um retorno financeiro inédito para a equipe. O Atlético Nacional faturou aproximadamente US$ 55 milhões (R$ 173 milhões) no ano passado, fruto de premiações em competições internacionais, direitos de transmissão, patrocínios (Postobón, Pilsen, Ares Corredores de Seguros e Nike) e venda de jogadores – sendo que a de Miguel Borja para o Palmeiras, sozinha, rendeu US$ 10,5 milhões (R$ 32 milhões).

A alta cifra definitivamente beneficiou o time, que tem um orçamento de R$ 76,4 milhões para este ano – muito maior do que qualquer outra equipe colombiana. O rival Medellín, que tem o segundo maior orçamento entre os times do país, tem R$ 52 milhões, 47% menos.

Mesmo os conhecidos América de Cali, Deportivo Cali, Millonarios e Santa Fe, entre outros, ficam bem atrás.

Para se ter uma ideia mais clara, o valor equivale ao orçamento dos adversários colombianos Atlético Huila, Alianza Petrolera, Deportivo Pasto, Atlético Bucaramanga, Patriotas, Cortuluá, Jaguares, Rionegro Águilas e Tigres, juntos.

No entanto, apesar de ser gigante na Colômbia, é pouco perto do que fatura o Botafogo, adversário desta quinta-feira pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. O time alvinegro tem mais da metade dos recursos para gastar.

O clube carioca aprovou um orçamento de R$ 191 milhões para este ano – com aproximadamente R$ 40 milhões a mais nos cofres em relação ao ano passado. O dinheiro vem da entrada de novos patrocinadores, como a Caixa Econômica Federal, assim como da renovação de parcerias antigas. Ademais, não estão inclusas no orçamento possíveis premiações dos torneios dos quais participa.

Nesta quinta-feira, Atlético Nacional e Botafogo entram em campo às 21h45 (de Brasília), no estádio Atanasio Girardot, em Medellín. O time colombiano é o terceiro colocado do Grupo 1 e ainda não pontuou, já que foi derrotado na estreia pelo Barcelona de Guayaquil, por 2 a 1.

O Botafogo é o segundo colocado, com três pontos. O líder do grupo é o Barcelona, que tem duas vitórias em dois jogos e, portanto, seis pontos.

Fonte: ESPN.com.br