Após ser expulso contra o Fluminense por ter proferido xingamentos, o treinador Jair Ventura não foi suspenso pela Segunda Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ), que decidiu apenas adverti-lo. Ele já cumpriu a suspensão regulamentar de um jogo após uma expulsão contra o Bangu, pelo Campeonato Estadual. Com isso, o treinador poderá comandar o Botafogo na reta final da Taça Rio e do Estadual.

O técnico argumentou que, apesar de ter falado xingamentos, estes não foram direcionados nem ao árbitro e nem a ninguém. Jair havia sido enquadrado no artigo 243-F § 1º do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que diz: “ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto”.

Em entrevista coletiva na última quinta-feira, o técnico já usou esse mesmo argumento:

— Prefiro não falar da arbitragem, como eu sempre fiz. Em nenhum momento eu direcionei o palavrão a ninguém. Claro que falamos palavrão no futebol, mas não foi para ninguém. Deixo agora com o Anibal Rouxinol, nosso advogado — afirmou ele na ocasião.

Se fosse condenado, a pena mínima seria de suspensão por quatro partidas.

Leia abaixo, na íntegra, o que o árbitro Maurício Machado Coelho Júnior escreveu na súmula após a partida a respeito da expulsão:

“Aos 47 (quarenta e sete) minutos do segundo tempo, expulsei o treinador da equipe do Botafogo F.R., Sr. Jair Z. Ribeiro Ventura, após o quarto árbitro da partida me informar sobre reclamações insistentes por gestos e palavras e dizendo as seguintes frases: ‘Vai tomar no c*, só três minutos, tá de sacanagem’; ‘Dá pênalti para os caras e não dá para a gente’; ‘Num f*’. Após ser expulso, o treinador saiu batendo palmas e ironicamente disse: ‘Tá de parabéns’.”

Fonte: Extra Online