Em clássico morno, o Botafogo venceu o Vasco por 1 a 0 no Nilton Santos. O gol foi marcado por Igor Cássio, aos 43 do segundo tempo. Com o resultado, o Alvinegro chega aos 9 pontos e se mantém vivo na Taça Guanabara. Já o cruzmaltino está eliminado das fases finais do primeiro turno do Estadual.

Logo após o apito final, o técnico Alberto Valentim fez questão de valorizar o resultado sobre o rival, que atuou com os reservas.

— Jogo equilibrado, com oportunidades claras de gols para nós. Uma chance agora com o Luis Henrique que a bola passa perto. O Vasco chegou também, a primeira bola na trave foi deles. Fomos guerreiros até o final. Para a comissão técnica, o jogo do Caxias já começa hoje. Foco total na Copa do Brasil.

Veja outras declarações:

Desempenho

— Contra o Resende, tivemos um volume de jogo maior. Hoje foi um jogo equilibrado. Nós tínhamos um clássico. O Vasco tem um treinador vitorioso, maravilhoso, um cara espetacular. A gente sabia que não seria o mesmo volume do que o jogo contra Resende.

Joel Carli e Cícero

— Tínhamos programado fazer com eles uma semana cheia para trabalhá-los para enfrentar o Caxias. O Pedro não. Ele teve dores musculares, que foram aumentando. Nós não podíamos correr o risco. Uma perda enorme. Mas hoje os dois garotos deram o máximo e nos ajudaram demais nessa vitória.

Pedro Raul preocupa?

— Hoje, pela manhã ele veio fazer tratamento. Ainda sente dores. Vamos ver como vai ser a reação agora. Temos mais três dias para que ele possa estar disponível para o jogo.

Rafael Navarro x Igor Cásio

— No primeiro jogo, eu que escalei o time como tínhamos combinado. O Igor estava na frente para aquele jogo. Hoje optei pelo Navarro, ele vem treinando bem. Vai ficar essa disputa. Vamos ver o dia a dia. Vivo muito o dia a dia. O Caio Alexandre, às vezes eu fico até chateado por não consegui-lo usar mais. Mesmo nas duas primeiras partidas ele procurou jogar. Hoje deu um passe maravilhoso para o Bruno, que originou o gol.

Comemoração

— É um momento maravilhoso para nós, de explosão, de alegria. Ganhar um clássico nos minutos finais. Podem pegar outras comemorações minhas aqui no Botafogo que tem várias assim.

Contratações

— A princípio, nós paramos. No decorrer da temporada, nós vamos ver o que vamos necessitando, quais as oportunidades que nós teremos. A princípio, estamos cobertos. Claro que se aparecer alguma coisa, nós vamos analisar com a diretoria.

Pressão do torcedor

— Tenho um carinho enorme pelo Abel. Fui jogador dele, fiz estágio com ele no Fluminense em 2011. Passei uma semana lá com ele. Treinar time grande é isso. Não tem como fugir da pressão das diretorias, da imprensa, dos torcedores. O Abel acabou de chegar, fez nove sessões de treino. Vida de treinador não é fácil. Mas é o que a gente ama. Temos que nos acostumar.

Fonte: Fogo na Rede