Botafogo aumenta receita com patrocínio e loja e busca mais ‘dinheiro novo’; clube recusa primeira proposta de renovação da Kappa

18 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Botafogo aumenta receita com patrocínio e loja e busca mais ‘dinheiro novo’; clube recusa primeira proposta de renovação da Kappa
Vitor Silva/Botafogo

O Botafogo recebe o Londrina, às 16h30, com a possibilidade de dar novo salto na tabela e se aproximar ainda mais do retorno à Série A. Como CRB e Goiás, respectivamente segundo e terceiro colocados, se enfrentam à noite, os alvinegros podem parar na vice-liderança. Uma volta por cima que empolga a torcida e não se limita às quatro linhas. Fora delas, o clube também dá passos para voltar a respirar aliviado.

Enquanto o time tem como meta solidificar a defesa e ajeitar o ataque, a diretoria tenta reduzir despesas e criar novas receitas. Neste último ponto, a avaliação interna é de que o trabalho começou bem. Segundo o diretor de negócios Lênin Franco, só no primeiro semestre a arrecadação com patrocínios foi quase a mesma que em todo 2019, último ano completo sem pandemia:

De janeiro a julho de 2019 o Botafogo tinha faturado R$ 3,173 milhões. E no mesmo período em 2021 já faturou R$ 5,260 milhões.

Ontem, o clube anunciou o patrocínio do site de apostas Estrelabet até o fim do ano nas mangas. Em relação ao espaço master, há conversas com mais de um interessado. Apesar da ansiedade da torcida, a maior probabilidade é de que seja para 2022. Mas setembro e outubro são tidos como cruciais.

— É quando as empresas fecham seus orçamentos para o ano seguinte — diz Franco.

Outras frentes bem avaliadas são o aluguel do Nilton Santos para gravações e o e-commerce. Em julho, o Botafogo acertou com a Futfanatics para gestão da loja virtual. No primeiro mês, o faturamento foi de R$ 750 mil — mais do que em todo 2019 (R$ 700 mil).

As lojas físicas estão fechadas. O Botafogo aguarda a definição do novo fornecedor de material esportivo para reabri-las. O contrato com a Kappa termina em dezembro, e a primeira oferta pela renovação foi recusada. O clube aguarda a contraproposta enquanto ouve outras empresas.

O entendimento é de que a gestão das lojas físicas pode ser um trunfo nesta negociação. Caso ela não entre no acordo, aí sim abre-se conversa com interessados em serem licenciadores.

Na era do mercado cripto, os “fan tokens” (ativos digitais que permitem aos proprietários interagirem com o clube e que podem ser comercializados) também estão na mira. No Brasil, Atlético-MG e Corinthians já têm. A promessa é de que o do Botafogo seja lançado ainda este ano. Neste momento, o clube negocia a empresa que cuidará da operação. Parte de seu valor será usado para pagar o lateral-direito recém-contratado Rafael.

A chegada de reforços e o sucesso do time são as apostas para tentar fazer o número de sócios-torcedores crescer. Hoje, são 16,6 mil, número abaixo do desejado. O tão sonhado retorno à elite pode ser o empurrão que falta.

Fonte: O Globo Online

Notícias relacionadas