Botafogo protocola na Justiça Plano de Credores visando ordenamento e equalização das dívidas

64 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Bandeira do Botafogo no Estádio Nilton Santos (Engenhão) - Botafogo x Castelo - Campeonato Brasileiro Sub-20
Fabio de Paula/BFR

Com transparência e responsabilidade, o Botafogo segue firme no seu objetivo de organizar as dívidas e equacioná-las visando a reestruturação econômico-financeira. O Clube apresentou na tarde desta quarta-feira, no Tribunal de Justiça (TJ) e no Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-1), o seu Plano de Credores para o Regime Centralizado de Execuções (RCE). Foi apresentado um projeto de ordenamento de dívidas cíveis e trabalhistas respeitando os critérios previstos em Lei. 

“É mais um passo firme, calculado e consistente no caminho de equalização das dívidas e adesão aos princípios da nova Lei das SAF. Sempre com transparência, gestão e responsabilidade”, destacou o CEO Jorge Braga.

Como é de conhecimento, em setembro o Botafogo entrou com um pedido no Tribunal de Justiça do Rio solicitando a centralização do pagamento de dívidas e a suspensão das penhoras de todas as dívidas cíveis, o que foi aprovado no TJ. No requerimento apresentado ao TJ na época, o Botafogo baseou-se na “Lei do Clube-Empresa”, Nº 14.193/2021, a Sociedade Anônima do Futebol.  

O Botafogo segue o que havia sido acordado na decisão anterior, ou seja, apresenta o Plano de Credores 60 dias após o deferimento da centralização das execuções. Desde setembro, o Clube já destina 20% de sua receita corrente mensal para pagamento das dívidas no prazo de 6 anos, como diz a lei.

Uma vez aprovado o Plano de Credores, o Botafogo assume um compromisso judicial de (compliance) cumprimento de obrigações, visando atingimento de receitas e especialmente de despesas, e que serão fiscalizados em juízo.

“Com a aprovação do Plano de Credores e a proteção das penhoras, passa vir, em contrapartida, a obrigação judicial de cumprir o que foi prometido. Só faz dessa forma, transparente, embasada e totalmente dentro da lei, quem tem firme intenção de cumprir o acordo, pois eventuais sanções são judiciais. Estamos preparados para isso”, completou Braga.

Os principais beneficiados com as ações do Botafogo na Justiça serão os próprios credores. Com a estruturação e ordenamento das dívidas, o Clube terá capacidade para se reorganizar administrativamente, preservar o caixa para o funcionamento diário e se fortalece para cumprir suas obrigações, conquistar resultados esportivos e com isso atrair novos investimentos.

Fonte: Site oficial do Botafogo

Notícias relacionadas