Copa América: prefeito não descarta mudar decreto e proibir jogos no Rio se situação se agravar

63 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Maracanã | Fluminense | Campeonato Carioca | Cariocão
Reprodução/CariocãoTV

Principal sede da Copa América, o Rio receberá oito partidas do torneio: serão cinco jogos na primeira fase, sendo dois da seleção brasileira, um jogo de quartas de final, um de semifinal, todos no estádio Nilton Santos, e a final no Maracanã. Apesar disso, a Conmebol e a CBF ainda não procuraram a Prefeitura do Rio de Janeiro oficialmente.

Segundo o prefeito Eduardo Paes disse em entrevista coletiva nesta sexta-feira pela manhã, os organizadores devem ter se baseado no decreto da Prefeitura que permite jogos sem público até o dia 14 de junho, um dia após a estreia da competição, para marcarem as partidas. No entanto, ele não descartou rever a posição da prefeitura caso haja um agravamento de casos de Covid-19 na cidade. Segundo o prefeito, nem ele, nem a Secretaria Municipal de Saúde foram consultados pelos organizadores sobre o tema. O prefeito afirmou não saber sequer quando começa a competição, prevista para ter jogos no Maracanã.

– Eu não vejo vantagem nenhuma realizar jogos de Copa América. A prefeitura do Rio não tem nada a ver com a decisão de realizar jogos de Copa América no Brasil. Aliás, não teve até agora qualquer consulta formal à secretaria. O que eu imagino é que eles estejam se guiando por um decreto em vigor na cidade, que permite a prática de partidas de futebol sem torcida, como tivemos agora aí dois Fla x Flus sem torcida. Então, o que está em vigor hoje e até 14 de junho é isso. Eu não sei nem quando é o jogo aqui no Rio da Copa América, mas se a situação por acaso se agravar e o decreto mudar, acabou – disse.

Paes também afirmou que considera “meio inoportuno um grande campeonato desses” e fez um apelo aos organizadores: “está na hora de procurar as autoridades sanitárias”. o prefeito reforçou que em momento algum “pediu” por Copa América, mas que outros jogos sem público estão sendo permitidos e realizados.

– Nós não pedimos Copa América, se perguntar minha opinião, acho um pouco inoportuno nesse momento um grande campeonato desse, mas também não vou fazer uma coisa só contra a Copa América, porque está tendo jogos de Campeonato Estadual, Libertadores, Brasileirão, sem torcida, e o que vai valer é a regra da prefeitura – acrescentou:

— Não deve ser difícil ter um mínimo de diálogo e colocar tudo no papel.

A primeira partida no Rio será Argentina x Chile, no dia 14, justamente a segunda-feira que marca o fim do atual decreto.

Fonte: O Globo Online

Notícias relacionadas