Família de torcedor morto com espeto em dia de clássico com Flamengo cobra Botafogo na Justiça; clube se defende

91 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Torcedor do Botafogo, Diego foi morto com golpes de espeto por torcedores do Flamengo
Reprodução

Em 2017, o torcedor Diego Silva dos Santos foi morto por flamenguistas próximo ao Estádio Nilton Santos com um espeto de churrasco, em um crime brutal, antes de um Botafogo x Flamengo. De acordo com “O Globo”, a família do alvinegro cobra indenização do Glorioso na Justiça, em caso que se arrasta.

Na época, a imprensa noticiou até mesmo a prisão de um homem acusado de participar da morte. Era o ex-presidente da Torcida Jovem do Flamengo, Wallace Costa Mota, o Tabajara, que estava foragido. Ele foi condenado.

Contudo, os pais e o irmão de Diego Silva cobram indenização do Botafogo, baseando-se até mesmo no Estatuto do Torcedor. O clube se defende na Justiça, aponta irregularidades e apresenta recursos.

A defesa do Botafogo já alegou que a vara em que o processo corre não é a ideal e descumprimentos de artigos do Código de Processo Civil, Código de Defesa do Consumidor e Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro. Porém, todos os recursos foram negados.

O TJ-RJ alega que não há irregularidades e que “para todos os efeitos legais, equiparam-se a fornecedor (…) a entidade responsável pela organização da competição, bem como a entidade de prática desportiva detentora do mando de jogo”.

Vale lembrar que, na ocasião, o Botafogo até mesmo pediu o adiamento do jogo para evitar tragédia, uma vez que não havia policiamento suficiente, por conta de um protesto. Já o Flamengo defendeu a realização do clássico e fez postagem polêmica, e muito criticada após a partida, com a frase “Não adianta correr”.

Fonte: Redação FogãoNET e O Globo

Notícias relacionadas