Ferj põe cláusula no regulamento do Carioca: campeão receberá apenas pequeno percentual da premiação se não assinar contrato de TV

117 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Prédio da Ferj, Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro
Reprodução/TV Globo

A Ferj “inovou” e incluiu no regulamento do Campeonato Carioca de 2023 uma cláusula polêmica. O artigo prevê premiação consideravelmente menor a campeão e vice caso não assinem o contrato coletivo de direitos de TV.

Com a cláusula, os clubes em tese são forçados a assinar o contrato. Na prática, porém, Botafogo, Fluminense e Vasco se recusam a fechar, por não concordarem com o modelo em que o Flamengo receberia o dobro do valor (R$ 18 milhões a R$ 9 milhões).

O valor estimado (não confirmado oficialmente) da premiação é de R$ 5,6 milhões para o campeão e de R$ 2,4 milhões para o vice.

No caso de o vencedor não assinar o contrato de TV, receberá apenas 25% do montante (ou seja, R$ 1,4 milhão). O restante do prêmio (no valor de R$ 4,2 milhões) será novamente dividido, com 60% para os clubes grandes que aderirem ao contrato e 40% para os pequenos.

Leia abaixo a cláusula:

X – DA PREMIAÇÃO

Art. 32 – O campeão estadual fará jus à seguinte premiação:

a) 01 Troféu;

b) 60 medalhas exclusivas;

c) Crédito na proporção de 70% (setenta por cento) dos valores destinados à premiação, observada a exceção disposta abaixo.

§1º – Na hipótese do campeão estadual vir a ser qualquer equipe não aderente ao contrato coletivo de transmissão, a premiação estabelecida no contrato coletivo de transmissão será reduzida a 25% (vinte e cinco por cento) calculados sobre os 70% (setenta por cento).

§2º – Na hipótese de aplicação do parágrafo anterior a diferença dos valores destinados ao campeão será distribuída na proporção de 60% (sessenta por cento) para os clubes grandes aderentes ao contrato coletivo de transmissão e 40% (quarenta por cento) para os clubes formadores aderentes ao contrato coletivo de transmissão.

Art. 33 – O vice-campeão estadual fará jus à seguinte premiação:

a) Crédito de 30% (trinta por cento) dos valores destinados à premiação, observada a exceção disposta abaixo.

§1º – Na hipótese do vice-campeão estadual vir a ser qualquer equipe não aderente ao contrato coletivo de transmissão, a premiação estabelecida no contrato coletivo de transmissão ao vice-campeão será reduzida a 25% (vinte e cinco por cento), calculados sobre os 30% (trinta por cento).

§2º – Na hipótese de aplicação do parágrafo anterior a diferença dos valores destinados ao vice-campeão será distribuída na proporção de 60% (sessenta por cento) para os clubes grandes aderentes ao contrato coletivo de transmissão e 40% (quarenta por cento) para os clubes formadores aderentes ao contrato coletivo de transmissão.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas