Jorge Braga prega menos promessas e mais entrega: ‘Estou convencido que Botafogo vai mudar a história’

56 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Jorge Braga, CEO do Botafogo, em 2021
Vítor Silva/Botafogo

CEO do Botafogo desde março, Jorge Braga concedeu entrevista à “Folha de S. Paulo” para falar da situação do clube. O economista admitiu que os problemas são graves, mas mostrou otimismo para a recuperação do Alvinegro, que luta para voltar da Série B para a Série A do Campeonato Brasileiro.

Com déficit de R$ 139 milhões pelo rebaixamento e queda de 30% nas receitas, o Botafogo teve que fazer corte de gastos, como demissão de quase 90 funcionários, e instauração de processo de concorrência para contratação de produtos e serviços. Além disso, a folha salarial do futebol caiu de R$ 4 milhões para R$ 2,5 milhões.

– A situação do Botafogo é delicada, é um sacrifício brutal, não esqueça que a gente tem uma dívida de um bilhão de reais. É preciso de um choque de cultura – disse Jorge Braga.

Precisamos, primeiro, conter a sangria no caixa. Em segundo, alinhar receitas e despesas e depois enfrentar as dívidas e captar investidores – acrescentou.

Beneficiado por um dispositivo da lei da Sociedade Anônima de Futebol (SAF) – na qual o clube ainda não se tornou, mas pretende criar a Botafogo S/A -, o Alvinegro conseguiu na Justiça a centralização de dívidas trabalhistas e destinação de 20% da receita mensal para o pagamento das mesmas, evitando risco de penhoras.

Ainda assim, o resultado financeiro do ano (afetado por perda de quase R$ 70 milhões em direitos de TV) prevê um prejuízo de R$ 60 milhões, número melhor que o de 2020.

Não faremos promessas, mas sim, entrega. Apesar desse impacto na receita com o rebaixamento, vamos entregar um resultado ainda melhor que o do ano passado – garante Jorge Braga.

O próximo desafio é gerar mais receitas, o que o Botafogo busca com programa de sócio-torcedor, loja, patrocínios e recuperação da credibilidade.

Estou convencido de que o Botafogo vai conseguir mudar a história – completou o CEO.

Instagram do FogãoNET (@fogaonet)

Fonte: Redação FogãoNET e Folha de S. Paulo

Notícias relacionadas