Jornalista se preocupa com euforia da torcida do Botafogo por Textor e teme que clubes virem ‘brinquedos de bilionários’

234 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Jornalista se preocupa com euforia da torcida do Botafogo por Textor e teme que clubes virem ‘brinquedos de bilionários’
Reprodução/SporTV

O jornalista Tim Vickery mostrou preocupação com a euforia na torcida do Botafogo após a aprovação, no Conselho Deliberativo, da venda do futebol do clube para o bilionário americano John Textor. Segundo ele, a figura de um “salvador” incomoda e o novo modelo de SAFs, apesar de ser amplamente difundido na Europa, traz riscos.

– Essa festa foi uma manifestação de estima para um ricaço americano: “O salvador chegou”. Isso me incomoda um pouco. Não sei qual é o melhor modelo para se administrar um clube de futebol, com certeza não é o associativo. Mas tem riscos nesse novo modelo de um clube de futebol virar brinquedo de bilionários. O John Textor parece ser um cara muito legal, querer bem o clube, mas não sabemos qual será a estratégia dele. O Botafogo é um clube maravilhoso, com uma história fantástica e uma torcida apaixonada – afirmou Vickery no “Redação SporTV”.

Nascido no Reino Unido, Tim Vickery citou casos mal sucedidos de venda de clubes ingleses para empresários estrangeiros e teme que, no futuro, o Botafogo seja vendido por John Textor para outro bilionário que não conquiste a simpatia do torcedor.

– Vamos supor que daqui a 30, 40 anos, o clube seja vendido para um outro dono que não é legal. Já vi isso acontecer com clubes na Inglaterra com esse modelo. Aí a torcida fica desesperada, porque seu clube fica nas mãos de alguém que você detesta. Temos que lembrar que esse caminho tem prós e contras. Algumas pessoas que hoje estão comemorando a chegada de um salvador talvez daqui a 30 anos estarão lamentando o dono que eles terão naquele momento. Tem perigos, não é utopia – ponderou.

Fonte: Redação FogãoNET e SporTV

Notícias relacionadas