Libra ou Forte Futebol? Blog crê que grupo ainda ‘sem lado’, que conta com Botafogo, será decisivo

22 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Libra ou Forte Futebol? Blog crê que grupo ainda ‘sem lado’, que conta com Botafogo, será decisivo
Lucas Figueiredo/CBF

O mais interessante confronto da rodada do meio de semana do futebol brasileiro será travado fora dos gramados.

E não haverá bola em jogo.

O duelo será no campo das ideias, com dois blocos discutindo na sede da CBF sobre a melhor maneira de vender os direitos de imagens dos clubes das Séries A e B quando, ao final de 2024, terminar o contrato assinado com a TV Globo.

Quem organizará o Brasileirão de 2025: a LIBRA, que conta com o apoio de seis clubes paulistas, mais Flamengo, Vasco e Cruzeiro?

Ou o “Forte Futebol“, bloco liderado pelo Athlético-PR que defende os interesses dos chamados emergentes com o apoio de 22 coirmãos que hoje disputam a primeira ou a segunda divisões?

Creio que a “partida” não terminará hoje…

Explico.

Na verdade, com a Lei do Mandante, aprovada em 2020, mais do que a intenção de passar a organizar os campeonatos nacionais das duas principais divisões do país, o que está em jogo é o projeto comercial para captação e distribuição de receitas através da venda da transmissão dos jogos.

E para tanto a unanimidade não é necessária.

Se Athletico-PR, América-MG, Atlético-GO, Avaí, Brusque, Ceará, Chapecoense, CSA, CRB, Coritiba, Criciúma, Cuiabá, Fluminense, Fortaleza, Goiás, Juventude, Londrina, Náutico, Operário, Sampaio Corrêa, Sport, Tombense e Vila Nova, que assinam o movimento “Forte Futebol”, chegarem ao consenso com a LIBRA, ótimo: teremos a sonhada Liga.

Se a discussão travar no percentual de divisão de cotas ou nos parâmetros de audiência para a distribuição do dinheiro, a CBF seguirá organizando as competições e os blocos (LIBRA e “Forte Futebol”) irão ao mercado disputar o dinheiro oferecido pelas TVs interessadas nas transmissões de cada mandante.

Neste aspecto, os maiores clássicos estarão com a LIBRA…

O jogo de interesses será decidido pelo bloco formado pelos que não se manifestaram oficialmente – como Atlético-MG, Bahia, Botafogo, Grêmio, Guarani, Internacional, Novorizontino e Ituano.

Se a LIBRA, que conta com os grandes de São Paulo, dois gigantes do Rio e um de Minas, fechar com o Atlético-MG ou pelo menos um da dupla Gre-Nal terá cardápio mais atraente.

E com um tempo ainda razoável para iniciar negociações com as redes de TV e potenciais patrocinadores, atraindo mais à frente novas adesões.

É mesmo questão de tempo…

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online

Notícias relacionadas