Porta-voz da SAF do Botafogo revela detalhes de contato com John Textor e estágio da operação; conclusão deve ser em 60 dias

93 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

André Chame, advogado que colidera projeto do Botafogo de se transformar em S.A.
Vitor Silva/Botafogo

O Botafogo vive um momento importante em sua história e quer abordar com transparência o andamento do processo da transformação em SAF (Sociedade Anônima do Futebol) na negociação com a Eagle Holdings, mas dentro dos limites de respeito às cláusulas de confidencialidade existentes. Por isso, o Advogado André Chame, do escritório “Kalache, Chame, Costa Braga Advogados” foi definido como o único porta-voz autorizado para abordar o tema. O intuito é apresentar um discurso uniforme, responsável e profissional para os torcedores e o mercado, como exigem operações desse porte.

Na manhã desta sexta-feira (31), último dia do ano 2021, Chame conversou com a Comunicação do Botafogo, atualizando sobre o andamento deste processo de fusão e aquisição.

Fale um pouco sobre você e o seu papel no momento atual do Botafogo.

CHAME: Olá, torcida alvinegra! Sou André Chame, advogado, alvinegro como vocês, com 25 anos de experiência em reestruturação de empresas. Venho trabalhando há três anos, em conjunto com outros grandes Botafoguenses, na formatação do projeto de SA do Botafogo. Sempre entendi que este projeto, para ter sucesso, não deveria pertencer a qualquer  corrente política do Clube. É, acima de tudo, um projeto do Botafogo para a sua torcida. E é, sem dúvida, um dos passos mais importantes da história do clube.

O que é uma SAF?

CHAME: Acredito que alguns de vocês já saibam do que estamos tratando, mas a SAF é uma figura jurídica criada pela lei 14.193 de 2021. Esta lei, que podemos tratar como o marco legal do clube-empresa no Brasil, permite a chegada de investidores nacionais e estrangeiros que tenham interesse de empreender na prática da atividade esportiva de futebol no Brasil. Além disto, em conjunto com o estímulo ao clube-empresa, o marco legal das SAF’s possibilita uma completa reestruturação das dívidas das Associações Desportivas ligadas à prática do Futebol, caminho este que vem sendo trilhado pelo Botafogo junto às instâncias competentes. Conforme já noticiado anteriormente, o Botafogo aderiu ao Regime Centralizado de Execuções previsto na lei das SAFs, que trata das dívidas cíveis e trabalhistas, e agora buscou o melhor enquadramento para a sua dívida tributária.

Qual a importância de uma SAF para o Botafogo?

CHAME: A importância da SAF Botafogo é, primordialmente, permitir a chegada, com a devida segurança jurídica, de pessoas interessadas em investir no futebol do Botafogo, alavancando receitas, melhorando o desempenho desportivo e, como já frisou por mais de uma vez o CEO Jorge Braga, permitindo a perpetuidade do Botafogo. É, acima de tudo, um presente do Botafogo para a sua imensa e apaixonada torcida.

Qual o estágio atual das negociações entre Botafogo e a Eagle Holdings?

CHAME: Após um ano de gestão do Presidente Durcesio e nove meses após a chegada do CEO Jorge Braga, recebemos uma oferta, ainda não vinculante, do Sr. John Textor, interessado em adquirir 90% das ações da Botafogo SAF, ficando os restantes 10% sob titularidade da associação. Uma oferta não vinculante é aquela que, em um primeiro momento, não obriga nenhuma das partes a concluir a negociação. Mas fiquem tranquilos, é normal que em operações desta natureza, a primeira oferta seja não vinculante. É importante destacar que, para chegarmos a esta proposta, o Botafogo passou por todas as etapas, com o melhor padrão de excelência mundial, visando estabelecer as premissas da negociação. Foram mapeados e quantificados todos os passivos do clube, foram realizadas as projeções financeiras, o chamado bussiness plan, o que demandou dezenas de horas de trabalho de vários especialistas nas suas respectivas áreas. Todo o processo foi conduzido com absoluto zelo e responsabilidade, sob liderança do Presidente Durcesio e do CEO Jorge Braga. A etapa seguinte foi a contratação da XP como consultora exclusiva para a busca de investidores para o projeto. Uma vez recebida a oferta não vinculante, o Botafogo devolveu a mesma, inserindo demandas em prol do melhor interesse do futebol do clube e sua torcida. 

Com a aceitação das premissas inseridas pelo Botafogo, o acordo não vinculante foi assinado pelo Presidente Durcesio Mello, o que confere exclusividade de 60 dias ao investidor John Textor para negociar com o Botafogo de Futebol e Regatas. No momento, todas as partes envolvidas estão sob compromisso de confidencialidade, o que também é comum em operações desta natureza, de modo que fui honrosamente designado por todos como único interlocutor da negociação. Esperamos a assinatura do contrato vinculante para as próximas semanas e repito que, durante sessenta dias, John Textor é o único investidor com quem o Botafogo mantém negociações abertas. 

Mochilas, bolsas e carteiras da coleção FogãoNET da Estilo Piti

Quanto tempo costuma levar um processo de fusão e aquisição (M&A)?

CHAME: Estimamos que todo o processo seja concluído ao final do prazo de sessenta dias, o que é um tempo considerado curto para operações deste porte e complexidade. Desta forma, sei que todos temos uma grande ansiedade relacionada ao tema, mas peço ao torcedor que tenha paciência caso sejam necessárias dilações destes prazos.

Quais as impressões iniciais de John Textor e sua equipe após a revelação das negociações?

CHAME: Tivemos um primeiro contato por vídeo com o John Textor. Ouvimos um breve resumo de sua história de sucesso nas mais diversas atividades empresariais que participou, especialmente nos setores de tecnologia, cinema, e mais recentemente, no futebol. É um amante do esporte e o considera o um grande catalisador social. Ele se mostrou bastante impressionado com a paixão da nossa torcida, não só em vídeos e imagens obtidas na internet, mas também por conta das interações em redes sociais, e demonstrou interesse em retribuir todo este carinho utilizando as melhores práticas no desempenho das atividades da Botafogo SAF. Mostrou grande admiração pelas nossas cores, pelo nosso escudo, pela Estrela Solitária e pela história do Botafogo de Futebol e Regatas.

Será necessário levar o tema novamente para o Conselho Deliberativo e Assembleia Geral?

CHAME: Após o recebimento da oferta vinculante, os principais tópicos da mesma serão levados ao Conselho Fiscal, para fins de parecer e, após, ao Conselho Deliberativo do Botafogo e à Assembleia Geral, para que seus conselheiros e sócios possam decidir pela aprovação ou não da operação de venda das ações da SAF. Esta etapa deve ocorrer ao fim da primeira quinzena de janeiro.

Os acordos comerciais e negociações que o clube vem tratando precisam ser paralisados ou o clube deve manter o trabalho normalmente?

CHAME: Durante o processo de negociação, especialmente durante esta etapa inicial não vinculante, o Botafogo não tem a obrigação de paralisar ou dar acompanhamento de suas negociações com terceiros, sejam elas entre jogadores e demais parceiros comerciais. De qualquer forma, o Botafogo, até mesmo por conta da exclusividade com John Textor, e para dar a maior transparência possível ao tema, se prontificou a compartilhar com a equipe do John, todos os detalhes das negociações em andamento.

O que o torcedor do Botafogo pode esperar nos próximos meses?

CHAME: Todos nós sabemos da ansiedade por informações, mas é importante que se entenda que qualquer notícia que não seja bem veiculada ou comunicada pode gerar um desnecessário desgaste entre as partes,  e até mesmo pôr em risco a negociação em curso, especialmente no momento em que os mais sensíveis detalhes da operação estão sendo discutidos pelos profissionais dos dois lados. Desta forma, a fim de evitar qualquer notícia que não corresponda à realidade, o BFR, a XP e a equipe do John decidiram que a comunicação com a imprensa e com a nossa gloriosa torcida será feita por apenas uma pessoa. Tive, como já disse, a honra de ser designado para este papel, que espero cumprir com o maior cuidado e transparência possível, respeitando sempre, e acima de tudo, o dever de confidencialidade  de todas as partes envolvidas.

Como o torcedor pode colaborar para o sucesso das negociações?

CHAME: É muito importante que o nosso torcedor seja cauteloso com a análise das informações divulgadas. A melhor forma de obter informações são os canais oficiais do Clube. Fiquem tranquilos, estamos fazendo todos os esforços para que esta operação seja um enorme sucesso para o nosso querido Botafogo e daremos, sempre que possível, notícias ao nosso torcedor. Saudações Alvinegras!

Fonte: Site oficial do Botafogo

Notícias relacionadas