Textor revela ‘coração partido’ com invasão de torcedores em CT do Botafogo: ‘Está afetando conversas com jogadores da Europa. Podem não vir por causa daquele dia’

513 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Textor revela ‘coração partido’ com invasão de torcedores em CT do Botafogo: ‘Está afetando conversas com jogadores da Europa. Podem não vir por causa daquele dia’
Reprodução

A invasão de integrantes da torcida organizada Fúria Jovem ao CT Lonier na última semana ainda traz consequências ao Botafogo. Em participação no programa “Seleção SporTV” desta quinta-feira (23/6), o empresário americano John Textor revelou que o episódio está atrapalhando a conversa por reforços para o Glorioso na janela de transferências do segundo semestre de 2022.

– Não há praticamente nenhum modo de se evitar ou suprimir emoção da torcida quando ela quer passar por cima da segurança. Em jogo do Crystal Palace com Everton, em que conseguiram ganhar e ficar na Premier League, tinha muita segurança. É a força da torcida. Podemos aumentar a segurança, fiquei com coração partido. Tentávamos recrutar jogadores, um muito importante talvez tenhamos perdido. As pessoas que peitam na câmera são as mesmas que me pedem jogador. O que mais falavam pode não vir por causa daquele dia. Quando você vaia, berra vergonha, tem direito, mas você é torcedor. Ficamos chateados, revoltados. Mas pergunto se está fazendo o time ganhar assim, se faz o time jogar mais. Quando está perdendo por 1 a 0 é razão para vaiar ou invadir? Em casa eu berro com a televisão, eu posso. Mas no estádio peço que apoiem, sejam coparticipantes. Segure sua vaia, seu grito de vergonha. Seria meu pedido gentilmente aos fãs. Estamos onde estamos, juntamos nossa equipe rapidamente, viemos da segunda divisão, quero que que os jogadores usem o escudo e se matem pelo nosso time, com os torcedores dando valor. Entendi que a invasão tem que parar, a segurança não consegue, mas tem que parar – destacou Textor.

Banner da loja do FogãoNET

Perguntado se Zahavi é um desses casos, o acionista da SAF do Botafogo se esquivou.

– Eu hesito em falar da pessoa, mas as pessoas sabem de quem estou falando. Um grande jogador, veterano, traz mulher, filhos, família. Ele não está obrigado a vir. É público que gosta do nosso projeto, do momento, do Brasil, tem interesse, mas já foi divulgado que houve questões de segurança em outros clubes. Não quero focar no Zahavi, mas está afetando toda conversa com jogadores na Europa. Foi mais transmitido na Europa que aqui. É uma péssima reflexão – completou.

Fonte: Redação FogãoNET e SporTV

Notícias relacionadas