Túlio Maravilha considera dupla com Donizete no Botafogo melhor que Gabigol e Bruno Henrique e alfineta atacante do Flamengo

39 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Túlio Maravilha considera dupla com Donizete no Botafogo melhor que Gabigol e Bruno Henrique e alfineta atacante do Flamengo
Vitor Silva/Botafogo

Túlio Maravilha e Donizete Pantera foi uma dupla que marcou história no futebol nacional, foi campeã brasileira no Botafogo e se destacou até na Seleção. Para o ex-centroavante, não há dúvidas que ambos foram melhores que Gabriel Barbosa e Bruno Henrique, do Flamengo.

– Eu acho. Com todo respeito a eles. Podem ter mais título… Se colocar na época e hoje, para começar Donizete jogava dos dois lados, esquerdo e direito, Bruno Henrique só joga de um lado, esquerdo. E Gabigol precisa de cinco para fazer um gol, eu só preciso de dois para fazer um – resumiu Túlio, que alfinetou o centroavante rubro-negro.

– Ele jogando no Flamengo, com todo respeito, tinha que ser atacante da Seleção, artilheiro de tudo, porque o time joga em função dele, e não consegue ser. Não sou eu não, são os números. Os números não mentem – disse ao “+/- Podcast”.

A parceria com Donizete rendeu o Campeonato Brasileiro de 1995, porém foi desfeita no ano seguinte, quando o companheiro foi negociado. Para Túlio, foi sua melhor dupla de ataque.

– Eu tive três companheiros de ataque importantes na minha carreira. O Niltinho, no começo da minha carreira no Goiás, o Donizete, que foi o maior e melhor de todos, e depois o Wando no Vila Nova em 2008, um pontinha, jogou no Botafogo e no Cruzeiro. Me ajudou muito. Esses três me ajudaram, mas o Donizete foi o mais completo – explicou.

Túlio Maravilha deixou sua marca também na Seleção Brasileira, o que recordou.

– Veio a Copa América, foi onde fiz o famoso “la mano de Túlio”, contra a Argentina. O do Maradona foi com a mão, o meu foi só a ajeitada. O mais difícil foi a cavadinha de canhota. Ali foi fantástico, eliminamos eles nos pênaltis, teve repercussão mundial. Graças a Deus fiz história com a camisa da Seleção também. Joguei 13 jogos e fiz 13 gols. Aí a partir de 95 nunca mais fui convocado, não sei o motivo. Não tive mais oportunidades, mas também não tive sequência boa como no Botafogo, de muitos gols e ser campeão. Ainda ganhamos um amistoso da Argentina lá na casa deles, com gol do Donizete – lembrou.

Por fim, Túlio Maravilha deixou suas impressões sobre o ataque do Brasil para a Copa do Mundo.

– Não levaria o Gabriel (Jesus). Já teve chance demais, vai entrar no Guiness (Book) como atacante que mais jogou e menos fez gols. Gabigol também não está merecendo. Levaria o Pedro, mesmo na reserva. Deixaria lá, é um jogador diferente. Firmino também já deu a contribuição, não é aquele cara que você tem a confiança que vai meter gol, que uma hora vai resolver. Está mais para garçom que goleador – completou.

Veja o vídeo:

Fonte: Redação FogãoNET e +/- Podcast

Notícias relacionadas