Vice cruzmaltino revela articulação entre 777 e John Textor: ‘Vasco e Botafogo vão liderar processo de internacionalização do futebol brasileiro’

143 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

John Textor, do Botafogo, e Josh Wander, da 777 Partners
Vítor Silva/Botafogo | Rafael Ribeiro/Vasco

O processo de criação da Libra, a Liga Brasileira, ganhou recentemente a adesão de Botafogo e Vasco. Eles estão ao lado de Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras, Ponte Preta, Red Bull Bragantino, Santos e São Paulo, enquanto o Grêmio também tem intenção de aderir. O que não era público é que o Glorioso e o Cruzmaltino terão papel crucial na transformação do futebol brasileiro.

Em entrevista ao canal “Fanático Vascaíno”, do jornalista Fábio Azevedo, o vice-presidente do Vasco Carlos Osório revelou que já há conversas entre John Textor (acionista da SAF do Botafogo) e Josh Wander (da 777 Partners, que está adquirindo a SAF cruzmaltina).

Há uma coisa muito importante que o Vasco vai fazer, junto com o Botafogo. Vasco e Botafogo estão trabalhando muito próximos nessa operação da liga. A 777 é uma empresa sediada em Miami, John Textor também está baseado em Miami. Existe articulação entre Josh, controlador da 777, e John Textor para trazer visão da internacionalização do futebol. Hoje o futebol brasileiro arrecada um valor ridículo em vendas internacionais das suas competições. Vasco e Botafogo liderarão esse processo, que tem uma avenida para crescer internacionalmente. Para você ter uma ideia, hoje a liga espanhola arrecada quase €450 milhões internacionalmente. É mais que o dobro de tudo que se arrecada no futebol brasileiro, mesmo o Campeonato Espanhol sendo previsível, bate um par ou ímpar e decide quem ganha. Aqui no Brasil tem competitividade maior, grandes marcas, grandes torcidas – comentou Carlos Osório.

O dirigente do Vasco acredita que seu clube é um dos maiores do país e que a liga será benéfica para todos.

– Temos absoluta convicção que a liga é o futuro do futebol brasileiro. Estamos diante de oportunidade extraordinária de transformar o Campeonato Brasileiro, que hoje é administrado pela CBF, em organização de liga. É o caminho do futuro. O Vasco, desde o primeiro momento, se manifestou favoravelmente. A 777 participou ativamente da discussão, é natural, importante a experiência deles. Fizemos avaliação profunda do que tinha de possibilidades, das ofertas, e resolvemos aderir ao grupo que congrega hoje, vamos falar com franqueza, o Top-5 do futebol brasileiro, Vasco, Corinthians, Palmeiras, São Paulo e o nosso rival (Flamengo). Estão de acordo, juntamente com Cruzeiro, (Red Bull) Bragantino, Santos e Botafogo. Nossa visão é que o caminho natural é haver aglutinação em torno da liga. O objetivo é transformar em rentável, trazer mais equilíbrio em distribuição de receitas e traçar caminho para o futuro. É melhor discutir do lado de dentro do que do lado de fora. Em vez de discutir quanto cada um vai levar agora, nossa certeza é que o bolo vai crescer muito e terá resultado positivo para todos – aposta Osório, que exemplificou em números.

– A receita que os clubes auferem do Campeonato Brasileiro é muito pequena. Se comparar um país continental, com receita na ordem de €150 milhões, €200 milhões por ano, com a La Liga com €1 bilhão por ano, sendo receita de €600 milhões só no mercado doméstico da Espanha, você vê o tamanho da oportunidade que temos aqui. Uma liga organizada, vendendo propriedades em conjunto, vai trazer bons rendimentos para todos. Para os grandes, para os que se encontram no patamar intermediário e para os que estão crescendo. Vai ajudar para termos competição mais equilibrada. Será transformador para o nosso futebol. Imagina multiplicar por 5, 6 ou 7 a receita auferida pelo Campeonato Brasileiro. É algo muito grande – completou.

Fonte: Redação FogãoNET e canal Fanático Vascaíno

Notícias relacionadas