Vice goiano, dificuldade no alto e reencontro com Kelvin: como chega o Vila Nova para enfrentar o Botafogo

8 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Kelvin - Vila Nova
Douglas Monteiro/Vila Nova FC

O primeiro de 38 capítulos. O Botafogo estreia na Série B do Campeonato Brasileiro nesta sexta-feira diante do Vila Nova, no Estádio OBA, em Goiânia. Mesmo tendo uma temporada de altos e baixos até agora, o objetivo é apenas um: voltar para a elite nacional.

Em campo, o Alvinegro terá, de cara, o campeão da Série C. Apesar do título, a equipe comandada por Wagner Lopes não chega para o Brasileirão com a moral no alto: o Vila Nova perdeu o título do Campeonato Goiano para Grêmio Anápolis no último domingo. Nos pênaltis, a equipe jogou fora a chance de dar fim a jejum de 16 anos, como explica Paulo Massad, da “Rádio Sagres 760”.

– Por conta da pandemia, algumas finais acumularam na temporada mesmo sendo de 2020. A parte final do Goiano de 2020, que o Vila sequer chegou a disputar as finais porque priorizava a Série C, foi esse ano. No Goiano 2021, o Vila perdeu o título para o Grêmio Anápolis nos pênaltis. Isso pegou mal, o torcedor ficou bem chateado, o próprio clube, internamente, sentiu muito a derrota. A última vez que conquistou o título foi em 2005. Já tinha chegado em algumas decisões e perdido, mas eram clássicos. Dessa vez, foi para um time do interior – afirmou, em contato com o LANCE!.

O time-base do Vila Nova – que pode passar por alterações até sexta-feira – é: Georgemy; Celsinho, Renato, Saimon, Rafael Donato; Dudu, Arthur Rezende, João Pedro; Pedro Bambu, Henan, Kelvin. O meia Alan Mineiro, que vinha sendo titular, está na fase final de recuperação de uma lesão na panturrilha.

MAPA DA MINA?

Na temporada 2021, o Vila Nova tem 18 jogos. São nove vitórias, seis empates e três derrotas, com 25 gols marcados – média de 1,38 por jogo – e 12 sofridos – 0,66 a cada compromisso.? Além do vice-campeonato do Goiano, a equipe eliminou Atlético-BA e Juventude na Copa do Brasil e vai enfrentar o Bahia na próxima fase.

Apesar do pouco número de gols, a defesa do Vila Nova tem uma dificuldade chave contra os adversários: a bola aérea. Seja em todos os tipos, faltas cobradas em direção à área, escanteios e até mesmo quando o atacante é acionado em jogo direto para disputar no alto com o defensor.

– O Vila sofreu muitos gols de bolas aéreas. Apesar de ter dois zagueiros com boa estatura, Rafael Donato e Saimon, o time sofre com bolas de paradas. Inclusive, o gol do Grêmio Anápolis na final do Goiano foi justamente em uma falta de longe que resultou em um gol de cabeça – analisou o jornalista.

Dos 12 gols levados pelo Vila na temporada 2021, sete têm relação com bolas aéreas: três de escanteio, um de cruzamento com a bola rolando, dois de faltas batidas em direção área e um que o zagueiro perde uma disputa aérea com o atacante após uma reposição do goleiro e outro jogador do adversário sai “cara a cara” com o goleiro.

A equipe de Wagner Lopes também cometeu três pênaltis na temporada 2021: dois viraram gols para os adversários e um foi defendido pelo goleiro Georgemy.

– O ponto forte vem sendo o meio-campo, que marca bem e tem força. Tem jogadores jovens, o Dudu foi o destaque do Campeonato Goiano, o Arthur Rezende tem qualidade no passe e o Alan Mineiro precisa de uma bola para decidir um jogo. O ataque é até criticado porque o meio cria muitas chances mas o time desperdiça muito – completou Paulo.

REENCONTRO COM KELVIN

A partida também marca o encontro do Botafogo com um rosto conhecido: Kelvin, que fez parte da campanha do rebaixamento na última temporada. Uma das contratações feitas da gestão anterior mais contestadas pela torcida, o atleta saiu do clube sem nenhuma participação direta em gol e foi afastado dos jogos antes mesmo do contrato acabar.

No Vila Nova, contudo, o atacante passa por um período individual diferente. Titular de Wagner Lopes, Kelvin foi importante na campanha do Goiano, com três gols marcados.

– Ele chegou tendo que fazer um trabalho de recondicionamento físico. Ficou um tempo fora, foi ganhando espaço aos poucos e tem sido titular nos últimos jogos. Apesar do Vila não ter ganho o Goiano, o Kelvin foi um dos caras que não foi criticado pela torcida. Um dos jogadores que tiveram boas atuações no campeonato, com três gols marcados. Tem tido uma sequência, sendo um desafogo pelas beiradas. Tem contribuído para o ataque do Vila – analisou.

Fonte: Terra

Notícias relacionadas