Vitor Júnior revela ‘apavoro’ que levou de Seedorf em história inusitada no Botafogo

71 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Vitor Júnior, ex-meia do Botafogo
Reprodução/Charla Podcast

Meia-atacante que jogou no Botafogo em 2012, Vitor Júnior recordou a passagem pelo clube em entrevista ao “Charla Podcast”, na última semana. Ele tem boas lembranças do Glorioso.

– Foi muito bom. É muito gostoso de jogar. Tive oportunidade de jogar em um time muito bom, depois chegou a cereja do bolo, o negão, o Seedorf, que era absurdo. Joguei em 2012, Seedorf continuou em 2013. Cada jogador ficava como câmera man em um jogo, eu que fiquei na estreia dele, aqueci com ele. Nesse jogo que chegou para se apresentar foi contra o Bahia, ganhamos de 3 a 0. Depois na estreia aqueci com ele. Chegou no vestiário, nem conhecia ele, falou que quando eu jogasse não queria que fosse pegar a bola no pé dele, era para ficar aberto porque gostou do meu um contra um e a bola ia chegar. Ninguém tirava a bola dele. Era muita força e qualidade – contou Vitor Júnior.

Contudo, nem tudo foram flores. A personalidade forte de Seedorf gerou episódios curiosos.

– Só que ele falava demais. Aqui não temos essa cultura, perdia um jogo, a torcida queria nos matar, jogava cerveja. Ele queria que todo mundo se reunisse para sair junto. Eu querendo ir logo para o vestiário (risos). Ele convocava reunião só para os jogadores, os caras gostavam de mim, porque eu estava muito bem, tinha decidido alguns jogos. O pessoal confiava muito em mim, davam a bola para eu fazer algo de diferente, até ele próprio dizia para eu fazer o um contra um para ganhar espaço. Perdemos dois jogos, chamou reunião. Aí começou a falar de time individualista, senti que era para mim, levantei o braço e falei que podia dizer meu nome. “É para você mesmo. E quando eu tiver falando você não me interrompe”. Mas os caras já abafaram ele, porque falava muito, disseram que eu estava decidindo jogos, sempre joguei assim, que a culpa não era minha, era de tudo mundo. Direcionou uma coisa para mim que não podia. Acontecem erros coletivos, individuais, mas não foi por eu ser individualista que perdíamos os jogos. Já estava louco, vendo ele dar dura em todo mundo, respondi mesmo – revelou Vitor Júnior.

O jogador também contou uma história com Elkeson e Seedorf.

– Elkeson era meia, Oswaldo de Oliveira teve discussão com Loco Abreu, que saiu, Oswaldo inventou Elkeson de 9, ele ficou milionário. Concentrávamos em General Severiano, nunca gostei de tomar café, só acordava na hora do almoço. O Seedorf, mais velho, acordava cedo. Acordei na hora do almoço, vi o Elkeson bolado, puto, falou “Seedorf me chamou 8h para eu ver vídeos do Inzaghi no quarto dele, queria que eu me movimentasse igual quando eles jogavam juntos no Milan” – contou Vitor Júnior, aos risos.

Veja o vídeo:

Fonte: Redação FogãoNET e Charla Podcast

Notícias relacionadas