Análise: Botafogo joga muito no primeiro tempo e nada no segundo em vitória sobre o Vila Nova com drama no final

33 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Análise Botafogo x Vila Nova

Azul é a cor mais quente. Estreando novo uniforme, o Botafogo venceu o Vila Nova por 3 a 2 na manhã ensolarada de domingo. Os gols foram marcados por Chay, Rafael Navarro e Diego Gonçalves. Depois de abrir 3 a 0, o adversário pressionou, marcou dois gols e acertou duas bolas na trave. A vitória deixou o Glorioso a apenas um ponto da zona de acesso à primeira divisão.

Para colar no G4 e chegar com moral para o confronto contra o líder Coritiba, vencer o Vila Nova era inegociável. Pior ataque do campeonato, com um ponto conquistado nos últimos quatro jogos e na luta contra o rebaixamento, o time goiano não prometia ser um rival complicado. Bastava ao Botafogo manter seu aproveitamento de melhor mandante do campeonato para alcançar a vitória. E manter também o ótimo aproveitamento sob o comando de Enderson Moreira, que não pode estar no banco de reservas devido à expulsão em seu jogo de estreia. O auxiliar Luis Fernando comandou o time na beira do campo.

Mas Enderson teve outro problema para escalar a equipe. Luís Oyama foi desfalque, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Desde que retornou ao time titular depois de se recuperar de lesão, o volante logo se tornou o principal jogador do meio-campo alvinegro, fundamental na distribuição e organização do jogo. Pedro Castro foi a escolha natural como substituto, apesar de não vir de boas atuações na função. A outra mudança no time foi a entrada de Joel Carli no lugar de Gilvan. Sem condições físicas para encarar uma sequência de jogos, Carli foi para a segunda partida seguida como titular dentro do Nilton Santos.

Análise Botafogo x Vila Nova

E o Botafogo começou o jogo da melhor forma possível, abrindo o placar logo aos três minutos. Excelente jogada pelo lado direito com Pedro Castro, Rafael Navarro e Marco Antônio. Pedro começou a jogada e atacou o espaço em profundidade nas costas do lateral.

O meia recebeu livre e em condições de descolar um bom cruzamento para Chay acertar a trave e ver a bola morrer no fundo da rede depois de bater o rosto do goleiro. A movimentação de Pedro Castro foi crucial para criar um desequilíbrio no lado esquerdo da defesa do Vila Nova. Ninguém acompanhou a subida do jogador alvinegro.

O gol cedo deu ao Glorioso o cenário ideal para encarar um jogo no qual se tem o favoritismo. A vantagem desmontou a estratégia defensiva dos goianos e os forçou a jogar contra um sistema defensivo alvinegro muito bem posicionado. O Botafogo teve absoluto controle do jogo, anulando completamente o ataque adversário. Aos 20, mais um gol com a assinatura do treinador, o lançamento direto da zaga buscando as laterais. Dessa vez, foi Carli quem achou passe brilhante para Hugo na esquerda. O lateral, muito cobrado por atuações melhores, foi na linha de fundo e cruzou para Navarro ampliar o marcador. O 2 a 0 dava a dimensão da superioridade imposta pelo Botafogo no primeiro tempo.

Análise Botafogo x Vila Nova

Os números também mostram o domínio nos 45 minutos iniciais. O Botafogo trocou 234 passes certos na primeira etapa, número próximo à média da equipe por jogo (289). Finalizou cinco vezes, sendo quatro na direção do gol. Ainda desarmou incríveis 14 vezes e venceu 37 duelos. Destaque para a intensidade do time, com e sem a bola, e para a objetividade no ataque com os jogadores sempre demonstrando muita consciência do que fazer com a bola.

Mas a volta do intervalo ligou um alerta. O time voltou disperso e demorou a reagir às substituições e à pressão do Vila Nova. O jogo coletivo do primeiro tempo não se repetiu e as decisões equivocadas foram se acumulando. Somente aos 12 minutos, o Botafogo encaixou um ataque promissor. Diego Gonçalves foi acionado na esquerda em sua principal característica, o drible no um contra um. Depois de tabelar com Navarro, Diego encarou a marcação dentro da área e foi derrubado. Pênalti que o próprio camisa 11 bateu e marcou o terceiro do Glorioso.

Análise Botafogo x Vila Nova

O gol deu mais tranquilidade, mas não ajudou a melhorar o desempenho do time no segundo tempo. O auxiliar Luis Fernando colocou Warley e Rafael Moura nas vagas de Diego Gonçalves e Rafael Navarro. Dois minutos depois, aos 20, Warley foi desarmado e pediu falta no campo de ataque. Na sequência, o Vila Nova marcou o primeiro gol em uma jogada de sorte, depois de desvio de Marco Antônio. Jonathan entrou no lugar de Hugo e reestreou pelo Botafogo. Chay sentiu a coxa e deu lugar a Matheus Frizzo. Todas essas mudanças ocorreram antes dos 25 minutos da segunda etapa, diferentemente de jogos anteriores nos quais Enderson segurou as alterações para o final. O forte calor do meio-dia pode ajudar a explicar as substituições e a queda brusca de intensidade do time.

E os jogadores que entraram também não conseguiram acrescentar nada ao tumultuado time do Botafogo. Warley perdeu chance incrível de fazer o quarto gol. Lento, Matheus Frizzo entrou muito mal. E o time viu o Vila Nova buscar o abafa e lançar bolas na área alvinegra. Foram 21 cruzamentos dos goianos no segundo tempo. Em um deles, aos 46 minutos, chegaram ao segundo gol com Rafael Donato. Destaque negativo para Diego Loureiro que ficou pregado sob as traves e viu o zagueiro cabecear dentro da pequena área. O Vila Nova foi para cima e ainda acertou a trave duas vezes nos minutos finais. A vitória que parecia fácil veio com drama no fim.

Análise Botafogo x Vila Nova

O Botafogo vai viajar para enfrentar o Coritiba, líder do campeonato, na próxima sexta-feira (27), às 21h30.

Números do jogo: (Sofascore)

Posse de bola – BOT 51% x 49% VIL
Passes certos – BOT 373 (84%) x 348 (83%) VIL
Cruzamentos – BOT 3/12 (25%) x 6/24 (25%) VIL
Bolas longas – BOT 22/48 (46%) X 29/47 (62%) VIL
Dribles – BOT 8/12 (67%) x 9/16 (56%) VIL
Finalizações – BOT 10 (5 no gol) x 15 (4) VIL
Finalizações dentro da área – BOT 6 X 9 VIL
Chances claras – BOT 4 x 2 VIL
Duelos ganhos – BOT 59 x 47 VIL
Desarmes – BOT 22 X 15 VIL
Cortes – BOT 17 x 15 VIL
Interceptações – BOT 21 x 12 VIL
Faltas – BOT 14 x 18 VIL

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas