Análise: Botafogo não joga bonito, mas mostra maturidade na vitória sobre o CRB

7 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Análise Botafogo x CRB

Série B é luta! O Botafogo venceu o CRB por 2 a 0 no Nilton Santos sem jogar o futebol dos sonhos do torcedor, mas com total controle das ações contra um adversário com um jogador a menos durante a maior parte do jogo. Os gols foram marcados por Marco Antônio e Carlinhos. O Glorioso retomou a vice-liderança, chegou aos 51 pontos e voltou a abrir três pontos para o quinto colocado.

Depois de uma sequência de resultados ruins e desempenhos fracos, vencer o CRB em um confronto direto pelo acesso era fundamental. De preferência, jogando bem, mas os três pontos eram imprescindíveis. Contra o Vitória, o Botafogo finalizou nove vezes a gol. Contra o Avaí, apenas seis. Nos dois jogos, o time conseguiu somente 11 desarmes. Números que ilustram a queda de intensidade e uma postura passiva da equipe sem a bola, além da dificuldade em criar chances de gol quando tem a posse.

Para retomar o caminho das vitórias, Enderson promoveu algumas mudanças entre os titulares. Diego Loureiro, que vem de recorrentes falhas, foi liberado para acompanhar o nascimento da filha e Douglas Borges voltou à meta alvinegra. Curiosamente, Douglas perdeu a vaga de titular justamente no jogo contra o CRB no primeiro turno. Diego Gonçalves, que não retornou bem depois da lesão, também perdeu o lugar. Warley entrou em seu lugar.

Nas laterais as mudanças mais polêmicas. Os Jonathans Lemos e Silva entraram nos lugares de Daniel Borges e Carlinhos, respectivamente. Jonathan Lemos, depois de um bom começo de temporada no Carioca, foi muito mal em seu retorno de lesão contra o Vitória. Jonathan Silva foi contratado como solução para o problema na lateral-esquerda, mas fez apenas dois jogos como titular sem convencer.

Análise Botafogo x CRB

O retorno de Kanu após cumprir suspensão garantiu a escalação da melhor dupla de zaga que o Botafogo pode formar. Carli e Kanu dão mais segurança ao sistema defensivo, especialmente, na proteção contra bolas aéreas. Mas a defesa alvinegra teve problemas para lidar com o contra-ataque do CRB no começo do jogo. O time alagoano explorou bastante as costas de Jonathan Silva pelo lado esquerdo com a movimentação do centroavante Nicolas Careca. Em duas oportunidades os adversários envolveram o lateral, tabelaram e conseguiram finalizar a gol. O Botafogo voltou a apresentar as mesmas dificuldades de criação contra uma defesa postada. A primeira boa chance surgiu aos 14 minutos, quando o time conseguiu acelerar e verticalizar o jogo. Warley fez boa escapada pela direita, a bola cruzou toda a pequena área, mas Jonathan não finalizou bem.

O adversário procurou justamente controlar o ritmo do jogo. Na primeira metade do primeiro tempo, chegou a ter 61% da posse de bola. Valorizou a bola nos pés e acelerou quando achou uma brecha. Enquanto isso, o Botafogo não conseguia jogar com seus pontas. Warley foi pouco acionado, Jonathan atacou bastante o espaço aberto por Marco Antônio na esquerda, mas também recebeu poucas bolas. A partir dos 25 minutos, o Glorioso aumentou a pressão e cresceu no jogo. No embalo das arquibancadas, empurrou o CRB para trás. Aos 30 minutos, um lance chave da primeira etapa. Caetano acertou o rosto de Rafael Navarro e foi expulso.

Com um a mais em campo, a pressão cresceu ainda mais, mas o time continuou sem gerar perigo para o goleiro adversário. Todo o jogo alvinegro foi focado pelo lado direito e baseado em cruzamentos para a área. Foram 19 cruzamentos no primeiro tempo. O CRB, fechado em um 4-4-1, só cedeu espaço pelas laterais e o gol não poderia ter saído de outra forma. Aos 44 minutos, jogada que começou com Chay no meio-campo e terminou com Chay cruzando na ponta direita para Marco Antônio abrir o placar. A movimentação do camisa 14 foi fundamental para a romper a marcação e quebrar o jogo previsível que o Botafogo praticava.

Análise Botafogo x CRB

O gol foi um tremendo alívio para tranquilizar a equipe que criou pouco e repetiu uma atuação pouco inspirada. Com boas opções reforçando o banco, Enderson tinha alternativas, como Pedro Castro, para tornar o time mais criativo e com mais peso no meio-campo. O time passou a fazer a saída em 3-1, com Oyama auxiliando os três de trás e Barreto se lançando ao ataque chegando na área para finalizar. Nessa função, o volante tem pouco a oferecer ao time.

O treinador, no entanto, preferiu manter a equipe e o segundo tempo começou como um prolongamento da atuação na etapa inicial. Muitos cruzamentos, muitos erros e pouco futebol. O CRB ainda conseguiu equilibrar o jogo em alguns momentos, explorando muito as bolas paradas que o Botafogo insistiu em oferecer. Mas Enderson pareceu não se incomodar com a evidente falta de meio-campo do time e só mexeu por motivo de lesão e cansaço.

Análise Botafogo x CRB

Aos 18 minutos, Diego Gonçalves substituiu Marco Antônio. Aos 27, troca de laterais. Vale o destaque para o bom desempenho de Jonathan Lemos. O lateral ultrapassou a péssima impressão que deixou no Barradão e foi um dos jogadores mais consistentes do Glorioso. Tocou 79 vezes na bola, acertou 90% dos passes, registrou dois desarmes e dois cortes, além de ter participado da jogada do gol. Aos 37, Enderson promoveu as já habituais saídas de Chay e Navarro.

Na reta final, o Botafogo controlou o jogo aguardando o apito final. O CRB já não tinha forças para atacar. Os alagoanos finalizaram uma única vez na segunda etapa e tiveram 30% da posse de bola. Nos apagar das luzes, ainda teve tempo para Warley arrancar e servir Carlinhos que sacramentou o placar. 2 a 0. É preciso reconhecer o mérito da escolha de Enderson Moreira em controlar o jogo e não expor o time a contra-ataques. Para o objetivo do clube, que é voltar à primeira divisão, a estratégia é válida. Considerando os 63 ou 64 pontos como o número mágico para o acesso, quatro vitórias e um empate nas últimas nove rodadas podem sacramentar o retorno à Série A.

Análise Botafogo x CRB

A caminhada continua na próxima terça-feira (12), às 21h30, contra o Cruzeiro em Minas Gerais.

Números do jogo: (Sofascore)

Posse de bola – BOT 64% x 36% CRB
Passes certos – BOT 410 (85%) x 207 (74%) CRB
Cruzamentos – BOT 13/34 (38%) x 3/8 (38%) CRB
Bolas longas – BOT 30/50 (60%) X 28/65 (43%) CRB
Dribles – BOT 5/8 (63%) x 4/9 (44%) CRB
Finalizações – BOT 16 (3 no gol) x 4 (0) CRB
Finalizações dentro da área – BOT 13 X 1 CRB
Chances claras – BOT 3 x 0 CRB
Disputas de bola vencidas – BOT 50 x 41 CRB
Disputas aéreas vencidas – BOT 22 x 13 CRB
Desarmes – BOT 11 X 12 CRB
Cortes – BOT 12 x 18 CRB
Interceptações – BOT 6 x 9 CRB
Faltas – BOT 12 x 12 CRB

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas