Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Análise: desatenção no 2º tempo marca derrota do Botafogo para o CRB e Chamusca não encontra soluções

13 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Análise CRB x Botafogo

Imperdoável! Em dois lances de desatenção, o Botafogo levou a virada e perdeu por 2 a 1 para o CRB. O gol alvinegro foi marcado por Rafael Navarro durante o bom primeiro tempo da equipe. Atuação dispersa na segunda etapa jogou fora todo o trabalho dos 45 minutos iniciais. Em nono lugar, o Glorioso vê o G4 a cinco pontos de distância.

Marcelo Chamusca contou com a volta de Chay para escalar a equipe. Líder do time em participações em gols e passes decisivos no campeonato, o atacante é o jogador mais capacitado do elenco para criar jogadas por meio de improviso ou de um passe que quebre as linhas de marcação. No meio-campo, Pedro Castro não estava correspondendo como armador e vinha de atuações apagadas. O treinador, então, preferiu manter Barreto como volante visando a reforçar a marcação contra o jogo de transição do time alagoano. Felipe Ferreira substituiu o lesionado Ronald e Guilherme Santos, suspenso, deu lugar a Rafael Carioca na lateral esquerda. Foi mais uma chance de o jogador justificar sua contratação e seu espaço no elenco.

Análise CRB x Botafogo

Com o treinador Allan Aal, o terceiro melhor ataque e segunda pior defesa da Série B, o CRB é um time ofensivo que procura sempre passes rápidos e verticais, mas a transição defensiva dos alagoanos é falha e oferece muito espaço para os adversários. E assim o jogo foi disputado em um campo muito largo, pouco compactado e com liberdade para os melhores jogadores aparecerem. Chay logo se destacou com boa movimentação, ora procurando as laterais para jogar com os pontas, ora atacando em profundidade quando Rafael Navarro atraiu a marcação no pivô.

Desde o começo da partida, a marcação alta do Glorioso incomodou e forçou o erro na saída de bola do adversário. Logo aos seis minutos, Chay teve boa chance de abrir o placar. Nos primeiros 12 minutos, o Botafogo finalizou quatro vezes. Uma tendência do time é forçar e jogar bem nos minutos iniciais, mas não conseguir manter o jogo sob controle quando baixa as linhas de marcação. Contra o CRB, mesmo alternando a pressão e diminuindo o ritmo, o time esteve melhor em campo e deu poucas chances ao adversário. A chegada mais perigosa dos alagoanos surgiu de um escanteio e uma saída errada de Douglas Borges.

Aos 29 minutos, Rafael Carioca interceptou um passe errado e tocou rápido para Luís Oyama. A pressão pós-perda do CRB não funcionou e Oyama e Chay tiveram liberdade no meio-campo para construir a jogada. A movimentação inteligente do camisa 14 atraiu a marcação e deixou Felipe Ferreira com caminho aberto para finalizar de fora da área. Bem posicionado no rebote, Navarro teve duas chances e na insistência abriu o placar para o Botafogo. Chay e Felipe Ferreira fizeram boa combinação pelo lado direito. A subida de produção do camisa 17 é importante para dar profundidade ao elenco e oferecer alternativas para Chamusca.

Análise CRB x Botafogo

Depois do gol, o Botafogo recuou e ofereceu a posse de bola ao adversário que teve muita dificuldade em jogar coletivamente e pouco fez com a bola nos pés. Os índices de entrega e atenção foram fundamentais para a boa exibição no primeiro tempo e deveriam ser mantidos na segunda etapa, mas logo no primeiro minuto uma desatenção permitiu que o CRB empatasse o jogo. Gilvan saiu para dar combate no meio-campo e deixou a última linha da defesa alvinegra quebrada. Teve que voltar correndo e perdeu contato com o jogador que marcava. Faltou também atenção e percepção para Rafael Carioca diminuir a distância para o zagueiro e fechar a linha de passe por baixo. Um duro golpe para o time que não concedeu qualquer chance ao adversário antes do intervalo.

O Glorioso voltou a controlar o jogo após o empate, mas não conseguiu criar como no primeiro tempo. Sobretudo devido à absoluta ineficácia dos laterais que dificulta o trabalho de abrir a defesa e sobrecarrega os jogadores na faixa central. Daniel Borges, Rafael Carioca e Diego Gonçalves juntos tentaram 18 cruzamentos durante o jogo e acertaram somente um. Embora Diego tenha feito um bom jogo, muito participativo e forte no um contra um, com seis dribles certos em oito tentados, a falta de profundidade pelas laterais limitou e deixou o ataque previsível. A titularidade de Daniel Borges segue sem qualquer justificativa diante daquilo que o jogador apresenta em campo. Mesmo discreto, Warley é mais consistente defensiva e ofensivamente como lateral.

Análise CRB x Botafogo

E outra vez uma atitude dispersa na marcação prejudicou o Botafogo. Aos 30 minutos, enquanto o Alvinegro cercava, mas não ameaçava o gol adversário, o CRB saiu em contra-ataque e conseguiu um escanteio. Na cobrança, um jogador do time alagoano ficou completamente livre na entrada da pequena área e nem precisou saltar para virar o jogo. Durante toda a movimentação na área, em nenhum momento um jogador do Botafogo se aproximou do autor do gol. Falha imperdoável dos responsáveis pela marcação individual na batida de escanteio.

As alterações de Chamusca não conseguiram melhorar ou sequer manter o nível de atuação do time. Em 20 minutos em campo, Rafael Moura tocou cinco vezes na bola. Marco Antônio, seis. Pedro Castro participou bastante, mas foi pouco efetivo. A condição física de Ronald preocupa e o jogador parece pouco confiável nesse momento. O resultado não reflete o desempenho das duas equipes, mas é fruto de um time incapaz de manter intensidade, ritmo, atenção e com pouca capacidade de reação.

Análise CRB x Botafogo

O Botafogo vai seguir em uma sequência de jogos difíceis e decisivos. No próximo sábado (10), vai receber o Cruzeiro no Nilton Santos. Depois vai enfrentar outros dois times da parte de cima da tabela, Brusque e Goiás.

Números do jogo:

Posse de bola – BOT 46% x 54% CRB
Passes certos – BOT 330 (82%) x 406 (83%) CRB
Dribles – BOT 15/18 (83%) x 3/6 (50%) CRB
Cruzamentos – BOT 3/30 (10%) x 3/11 (27%) CRB
Bolas longas – BOT 31/64 (48%) X 22/52 (42%) CRB
Finalizações – BOT 14 (5 no gol) x 7 (2) CRB
Finalizações dentro da área – BOT 7 X 5 CRB
Chances claras – BOT 0 x 2 CRB
Desarmes – BOT 10 X 14 CRB
Faltas – BOT 12 x 12 CRB

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas
Comentários