Análise: em jogo de poucas chances de gol e polêmica com o VAR, Botafogo jogou bem só 10 minutos contra o Vitória

5 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Rafael Navarro em Vitória x Botafogo | Série B do Campeonato Brasileiro 2021
Reprodução/Premiere

O Botafogo foi até Salvador enfrentar o Vitória e não saiu de um empate sem gols. O jogo foi marcado por muitos erros das duas equipes e também por polêmicas na arbitragem. O Glorioso perdeu a chance de encostar no líder Coritiba e terminou a 27ª rodada na segunda posição, com 48 pontos.

O jogo no Estádio Manoel Barradas foi o terceiro do Botafogo em sete dias, desde a última quinta-feira. Por esse motivo, Enderson Moreira teve que poupar alguns jogadores. Joel Carli e Rafael nem sequer viajaram com o grupo e ficaram no Rio aprimorando a parte física. Kanu voltou ao time depois de cumprir suspensão, mas a novidade ficou por conta da escalação de Jonathan Lemos na lateral-direita. O lateral jogou pela última vez no dia 09/05, na vitória sobre o Nova Iguaçu. Depois de um início discreto, Daniel Borges foi titular em 20 dos 27 jogos do Alvinegro na Série B e se consolidou na posição, cumprindo papel tático importante na saída de bola.

Análise Vitória x Botafogo

Depois do tropeço do líder Coritiba na rodada, o Botafogo entrou em campo olhando para cima, buscando reduzir para três pontos a vantagem do Coxa. E foi no primeiro minuto que Marco Antônio teve a primeira boa chance de abrir o placar. O chute cruzado passou muito perto da trave esquerda do goleiro Lucas Arcanjo, que só observou. O Glorioso encontrou facilidade no começo do jogo para trocar passes com rapidez e executar boa movimentação no campo de ataque. O Vitória entrou com a proposta de oferecer a posse de bola, mas marcou muito recuado, sem pressão na bola, o que deu espaço para o ataque alvinegro e deixou o time baiano sem saída de contra-ataque.

A primeira chegada dos baianos no ataque veio de uma bola aérea aos 14 minutos. Jonathan mostrou algumas dificuldades em fundamentos básicos devido à falta de ritmo. E foi por ali que o adversário chegou, apostando no passe longo. O lateral se posicionou mal e deu espaço para o jogador dominar e cruzar na área. O lance foi ainda mais perigoso porque Gilvan escorregou e deixou o atacante finalizar livre, na entrada da pequena área. A partir daí, o Vitória não mudou a postura de marcar no próprio campo, mas ajustou a marcação com mais intensidade e o Botafogo não teve mais liberdade para criar.

O Glorioso manteve a marcação alta durante todo o primeiro tempo. Até conseguiu provocar alguns erros de passe, mas não foi efetivo no combate para conseguir desarmes e interceptações no campo ofensivo de forma recorrente. Somente aos 37, o time conseguiu finalizar a partir de uma retomada de bola no ataque, com Chay batendo de fora da área para a defesa do goleiro. Essa foi a única finalização na direção do gol em toda a primeira etapa. O placar de 0 a 0 no primeiro tempo foi reflexo de um jogo pouco interessante. O Botafogo teve 54% da posse de bola, um bom aproveitamento de 85% nos passes, mas criou pouco. Em 45 minutos de poucos destaques positivos, Jonathan chamou atenção como destaque negativo, claramente sem condições de jogo. Marco Antônio e Diego Gonçalves também tiveram atuação discreta, presos na marcação.

Análise Vitória x Botafogo

Enderson percebeu esses problemas na equipe e mexeu logo duas vezes no intervalo. Jonathan deu lugar para Daniel Borges e Warley entrou no lugar de Marco Antônio. O treinador mudou todo o lado direito da equipe para tentar ser mais vertical por ali. O jogo começou mais aberto no segundo tempo. O Vitória mudou a postura e adiantou a marcação, enquanto o Botafogo voltou tentando repetir o desempenho dos primeiros dez minutos de jogo. Ainda assim, as duas equipes continuaram mostrando muita dificuldade para articular jogadas de ataque. O posicionamento médio de Chay foi um sintoma dessa dificuldade. O camisa 14, que normalmente atua muito próximo de Navarro, hoje precisou voltar muito para buscar a bola e esteve mais perto de Oyama que do centroavante.

Na segunda etapa, o Vitória teve mais a posse de bola e finalizou mais ao gol. Finalizações ruins, é verdade. O Botafogo não conseguiu manter o aproveitamento nos passes e, aos poucos, os baianos foram tomando o controle do jogo na marra. Aos 20, Diego Loureiro tentou dar emoção ao jogo e quase ofereceu o gol ao adversário em bola cruzada. Mas foi aos 24 minutos que ocorreu o evento que poderia desequilibrar o jogo. Kanu, que já tinha amarelo, deixou o braço em uma dividida e foi expulso. Lance questionável em que o zagueiro não teve a intenção de acertar o adversário. Com um a menos, Enderson colocou o jovem zagueiro Ewerton no lugar de Chay.

O Vitória tentou pressionar sem muita qualidade, não fazer valer sua superioridade numérica e parou em Diego Loureiro em duas oportunidades. O atacante Samuel entrou no time baiano aos 32 minutos, deu uma cotovelada em Gilvan aos 35 e foi expulso após consulta ao vídeo. Dez contra dez, campo espaçado e chance do Botafogo voltar ao jogo. Aos 47 minutos, Carlinhos bateu falta na área, a zaga cortou, Oyama pegou o rebote e, após desvio, a bola sobrou para Rafael Moura marcar. Seria a redenção do He-man, mas, por centímetros, o gol foi anulado por impedimento. O VAR não funcionou para traçar as linhas na jogada e a decisão de campo foi mantida.

Análise Vitória x Botafogo

No fim, o resultado foi condizente com o desempenho dos dois times. Reflexo de um jogo de pouquíssimas finalizações – só uma certa de cada lado -. pouca criatividade no meio-campo e, quando o jogo se desenvolveu pelas laterais, muitos erros de cruzamento. O Botafogo jogou bem durante dez minutos e só. O resultado é ruim pensando na disputa pelo título com o Coritiba, mas ainda deixa o Glorioso a três pontos do Goiás, o primeiro time fora do G4.

No sábado (2), às 19h, o Botafogo vai jogar contra o Avaí no Nilton Santos. O time catarinense vem de três vitórias consecutivas, ultrapassou o Goiás e entrou no G4 da Série B nesta rodada.

Números do jogo: (Sofascore)

Posse de bola – BOT 50% x 50% VIT
Passes certos – BOT 309 (82%) x 311 (81%) VIT
Cruzamentos – BOT 2/17 (12%) x 3/15 (20%) VIT
Bolas longas – BOT 29/56 (52%) X 23/53 (43%) VIT
Dribles – BOT 9/12 (75%) x 9/10 (90%) VIT
Finalizações – BOT 9 (1 no gol) x 9 (1) VIT
Finalizações dentro da área – BOT 3 X 7 VIT
Chances claras – BOT 0 x 0 VIT
Disputas de bola vencidas – BOT 56 x 52 VIT
Disputas aéreas vencidas – BOT 11 x 15 VIT
Desarmes – BOT 11 X 15 VIT
Cortes – BOT 13 x 13 VIT
Interceptações – BOT 11 x 11 VIT
Faltas – BOT 14 x 26 VIT

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas