Análise: sonolento, Botafogo B de Lucio Flavio decepciona na estreia do Cariocão 

49 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Análise: sonolento, Botafogo B de Lucio Flavio decepciona na estreia do Cariocão 
Vitor Silva/Botafogo

A temporada 2023 do Botafogo começou com frustração para o torcedor. Numa tarde de muito calor, o time foi derrotado pelo Audax por 1 a 0 no Nilton Santos. O time B comandado por Lucio Flavio misturou jogadores mais experimentados no elenco profissional, como Mezenga, Hugo e Del Piage, e muitos jovens fazendo sua estreia com a camisa alvinegra. Havia muita expectativa sobre o desempenho de Raí, que voltou a ganhar oportunidades no Cariocão depois de boa temporada com a equipe sub-20 em 2022, e sobre o jovem Bernardo Valim, joia da base alvinegra que não saiu do banco de reservas.

Análise Botafogo x Audax

Como referências no grupo repleto de jovens, Del Piage e Hugo apareceram bastante desde o início do jogo. O volante, que com Castro teve oportunidades como um meia interior mais atuante no campo de ataque, atuou mais recuado, auxiliando a saída de bola como um apoio para a troca de passes. O lateral, que teve a sorte de jogar pelo lado da sombra no primeiro tempo, foi uma boa peça de escape do time pelo lado esquerdo. Aos 14 minutos, Raí esticou para Hugo na linha de fundo e o lateral teve a calma para levantar a cabeça a fim de escolher a melhor jogada. O cruzamento rasteiro para trás encontrou na entrada da área o meia JP, que finalizou de primeira para grande defesa de Leandro.

Em um jogo em ritmo lento devido ao forte calor na tarde de domingo, o Botafogo não conseguiu por em prática a estratégia de marcação alta com pressão no campo do adversário. Com a bola, também não foi capaz de estabelecer um ritmo de troca de passes e uma boa dinâmica de movimentação, situações comuns a uma equipe desentrosada e ainda em busca da melhor forma física e técnica. Alguns números ilustram a velocidade em que a partida foi disputada no primeiro tempo: com 56% da posse de bola, o Glorioso trocou apenas 134 passes; sem a bola, conseguiu apenas três desarmes.

No lance do gol do Audax, aos 16 da primeira etapa, a lentidão e a falta de entrosamento do Botafogo ficaram evidentes. Mezenga ficou cinco segundos com a bola nos pés sem sofrer nenhum tipo de pressão da marcação. O zagueiro tocou para Del Piage, que, pelo seu posicionamento corporal, não esperava receber o passe. Mais ligado que os dois, Higor Leite roubou a bola e, da linha do meio-campo, surpreendeu Igo Gabriel para marcar um belo gol.

Poucos foram os momentos de destaque do Glorioso no primeiro tempo. Algumas descidas de Hugo, uma apresentação segura de Vermudt, momentos de sobriedade em que o talento de Raí apareceu, o esforço de Iago para participar das jogadas. Pelo lado direito, o lateral Ryan até subiu para apoiar, mas sempre muito isolado. Dudu e Bardales pouco participaram do jogo.

Sem alterações no Botafogo durante o intervalo, o Audax continuou melhor na etapa final. Logo aos dois minutos do segundo tempo, Igo Gabriel salvou o segundo gol em finalização de Emerson Urso. O adversário seguiu encaixando contra-ataques e obrigando a defesa alvinegra a correr para trás, expondo erros na transição defensiva. As primeiras mudanças de Lúcio Flávio vieram aos 16 minutos. O treinador mexeu nos dois extremos, colocando Luis Phelipe e Joffrey no lugar de Dudu e Iago. O zagueiro Vermudt, lesionado, também deixou o campo, substituído por Matheus Cabral.

As mexidas não deram o resultado esperado porque não mudaram a postura coletiva do Botafogo em campo. As funções de cada jogador continuaram mal definidas, levando a decisões ruins e jogadas forçadas. Com uma estratégia bem definida e executada, o Audax esteve sempre mais próximo do segundo gol. Foram sete finalizações dos visitantes na metade final do jogo contra quatro do Glorioso. Um número chama a atenção nas estatísticas alvinegras: dois cruzamentos certos em 27 tentativas. O excesso de cruzamentos sem critério evidencia a total falta de criatividade do time no terço final do campo.

Aos 40 minutos, Luis Phelipe teve a melhor chance do Alvinegro no segundo tempo, mas finalizou muito mal diante do goleiro. Na reta final, Caio Vitor substituiu JP e Darius entrou no lugar de Bardales.

Análise Botafogo x Audax

O Botafogo vai estrear seu time principal na segunda rodada do Campeonato Carioca, na próxima quinta-feira (19). O Glorioso vai enfrentar o Volta Redonda no estádio Raulino de Oliveira.

Números do jogo: (Footstats)

Posse de bola – BOT 57% x 43% AUD
Passes certos – BOT 317 (90%) x 176 (87%) AUD
Finalizações – BOT 10 (5 no gol) x 11 (4) AUD
Desarmes – BOT 8 x 13 AUD
Interceptações – BOT 4 x 1 AUD
Rebatidas – BOT 29 x 39 AUD
Cruzamentos – BOT 2/27 (7%) x 3/13 (23%) AUD
Lançamentos – BOT 7/18 (39%) x 19/41 (46%) AUD
Dribles – BOT 3/5 (60%) x 4/6 (66%) AUD
Perdas de posse de bola – BOT 32 x 29 AUD
Faltas – BOT 11 x 21 AUD
Cartões amarelos – BOT 2 x 4 AUD

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas