Atitudes ‘pequenas’ do Goiás contra Botafogo mostram ‘cada um por si’ do futebol brasileiro

112 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Atitudes ‘pequenas’ do Goiás contra Botafogo mostram ‘cada um por si’ do futebol brasileiro
Vitor Silva/Botafogo

* Em uma série de atitudes pequenas e sem bom senso, o Goiás parece querer prejudicar o Botafogo e sua torcida para o jogo desta terça-feira, no Estádio da Serrinha, pela Série B. É uma mostra do “cada um por si” que prevalece no futebol brasileiro e que não é coibido pelos órgãos (in)competentes, como CBF e STJD.

* Um dos atos do Goiás é tentar vetar a presença de torcida visitante, embora já tenha sido liberada nos estádios. As alegações, esfarrapadas, é que houve pouco tempo para preparação e que a Serrinha não tem setor para a torcida adversária. Ora, em um ano e meio sem público, não deu para se planejar para a volta?

* Quanto ao pouco tempo, chega a ser risível. Pela Série A, o Atlético-GO receberá o Grêmio nesta segunda-feira e liberará torcida visitante. Basta querer e ter boa vontade.

* Outra atitude curiosa do Goiás (e comemorada por sua torcida na internet) é colocar valores altíssimos nos ingressos (inteira de R$ 150, R$ 200 e R$ 250), com descontos consideráveis para quem estiver com a camisa oficial do clube esmeraldino (R$ 20, R$ 25 e R$ 40).

* Seria receio de uma invasão da torcida do Botafogo, numerosa na região Centro-Oeste? Fato é que a CBF e o STJD deveriam impedir absurdos como esse.

* Além dessa guerra fria e de bastidores, que prejudica todo o futebol brasileiro pelo “cada um por si”, quem mais sofre é o torcedor. É praticamente impossível se planejar para viajar e ver jogos, as datas demoram a ser definidas e podem mudar a qualquer momento, encarecendo qualquer logística de voo e hospedagem. Para piorar, o botafoguense da região Centro-Oeste ainda é surpreendido com notícias desse tipo na véspera de um jogo. Não à toa, o futebol brasileiro segue parado no tempo, uma vez que ignora que o torcedor é seu principal consumidor.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas