Já abordamos esse assunto aqui algumas vezes, é uma eterna discussão. Mas a diretoria do Botafogo, em certas ocasiões, parece jogar contra seu maior patrimônio, que é a torcida. A política de preços adotada nos jogos desta semana no Estádio Nilton Santos é absolutamente injustificável.

Sabemos que o Botafogo vive uma seríssima crise financeira e é preciso que entrem recursos de qualquer maneira. Mas não vai ser jogando o preço lá em cima que isso vai acontecer. No jogo desta quarta-feira, no ruim horário de 19h15, contra o Sol de América, pela Copa Sul-Americana, os ingressos de inteira de Leste custam R$ 40. E no clássico de domingo de manhã, contra o Vasco, pasmem, R$ 60!

A revolta cresce ainda mais quando vamos consultar o valor dos ingressos que o Flamengo está praticando para o jogo de sábado, às 16h, contra o Fortaleza, no mesmo Estádio Nilton Santos – já que o Maracanã está sendo preservado para a Copa América: TODOS os setores a apenas R$ 20 (meia a R$ 10).

Se levarmos em conta que o Flamengo tem um time com jogadores de mais nome, e sua torcida está bem mais empolgada que a nossa (isso totalmente justificável pelo investimento feito), como dá para entender nossos maiores rivais cobrando R$ 20 e o Botafogo cobrando até R$ 80 (Oeste no clássico de domingo) nos mesmos setores?

O Brasil vive uma grave crise financeira, o Rio de Janeiro está com uma massa de desempregados enorme, e a diretoria alvinegra parece não ter essa sensibilidade. Resultado? Apesar de serem duas ótimas possibilidades de ver o estádio cheio, o Niltão não deve ter grandes públicos contra Sol de América e Vasco.

Raciocinem com a gente: domingo, 11h, programão para a família ir ao Nilton Santos ver o clássico, não é? Aí você é o pai, quer levar a esposa e os dois filhos no setor Leste. Supondo que as crianças paguem meia, você vai gastar, só com ingresso, R$ 180. Se juntar a coca-cola, a cerveja, o sanduíche, a pipoca, o transporte (ou estacionamento), isso aí vai lá para R$ 250, R$ 300 brincando. É justo?

Se o Botafogo estivesse nadando de braçada no futebol brasileiro, com um supertime, ganhando de todo mundo, poderíamos até entender. Mas está longe disso. É hora de atrair a torcida para o seu lado, mas o clube parece fazer questão de querer afastá-la. É difícil compreender isso…

“Vira sócio!”, bradarão alguns. É claro, o ideal seria que todos virassem. Afinal, o nosso sócio-torcedor tem planos superbaratos, e isso sim é uma bola dentro da diretoria. Mas não podemos esquecer aquele torcedor que não quer ir a todos os jogos, não pode ir, só escolhe alguns. Estamos nos privando deles, o que é uma pena.

Péssimos números

Sabe o que acontece com isso? O Botafogo vai colecionando números ínfimos em relação ao público. No ranking do Globoesporte.com, o Glorioso aparece apenas na 17ª colocação na média de público entre os clubes da Série A, com 7.200 pagantes por jogo. Em ocupação média do estádio, o Botafogo é o último da Série A (apenas 15%). Tem que mudar essa realidade.

Saudações alvinegras!