O Botafogo não tem só jogadores, e sim torcedores em campo

Compartilhe:

Não se compara. O que presenciamos nesta quinta-feira é algo fantástico. Vamos parar de se referir aos atletas como apenas “jogadores do Botafogo”. Esses caras são mais do que isso. Eles são jogadores-torcedores. Encarnaram o espírito alvinegro, são guerreiros de alma preta-e-branca. Empurrado por mais de 40 mil pessoas, o Botafogo, contra o Nacional, parecia atuar com 15 em campo.

Não é exagero afirmar que o torcedor do Botafogo viveu um dos momentos mais mágicos na história do clube entre 19h11 e 19h21 desta quinta-feira, no Estádio Nilton Santos. Desde a entrada dos jogadores no campo, com papel picado, bandeiras, cachorrão, escudão, até o gol de Rodrigo Pimpão, foram os dez minutos mais espetaculares que o torcedor alvinegro já passou.

A sinergia entre torcida e jogadores do Botafogo é algo difícil de se encontrar por aí. O começo do jogo diante dos uruguaios foi avassalador. O Glorioso só não meteu uma goleada porque depois faltou caprichar nos contra-ataques que foram aparecendo. Depois de fazer 2 a 0 com cinco minutos, a sensação era de incredulidade: não imaginaríamos que iria ser tão tranquilo.

O gol de Rodrigo Pimpão, de carrinho, resume bem este Botafogo. São caras que não param um minuto, se entregam de corpo e alma, lutam com todas as energias possíveis. Aliás, os autores dos dois gols do Botafogo são os mais fiéis representantes do espírito deste Glorioso. Bruno Silva e Rodrigo Pimpão são o coração desta equipe de jogadores-torcedores.

Outro momento magnífico foi após o apito final. Enquanto os “torcedores” do Nacional quebravam as cadeiras e protagonizavam uma cena ridícula, jogadores como Rodrigo Pimpão, Roger, Dudu Cearense e Luis Ricardo corriam para o setor Leste Inferior e balançavam as bandeiras da Loucos pelo Botafogo, cantando as músicas na mesma empolgação. Faltam palavras.

Eu só queria dar um abraço nesses caras. O que vocês estão fazendo é algo que não tem medida. O Botafogo, o clube que mais teve atletas na Seleção Brasileira, não chega nas quartas de final da Libertadores desde 1973! Estamos a seis jogos de um título histórico. E a quatro de outro, a Copa do Brasil. Eu só queria dizer muito obrigado a todos vocês. De coração.

Saudações alvinegras!

Comentários