Não é preconceito com as outras torcidas não… Nem querer dar uma de moralista… Mas a nossa torcida, a torcida do Botafogo, é realmente diferenciada. Não escolhemos, fomos escolhidos pela Estrela Solitária. Só quem é alvinegro sabe.

E nessa semana tivemos mais dois ótimos exemplos de como os botafoguenses são diferentes, com um sentimento que ninguém entende. Estamos rodeados de bons exemplos. O mais legal foi após o jogo contra o Atlético-MG, na quarta-feira, na volta para casa no trem da SuperVia.

Pelo menos dois vídeos mostram a cena divertidíssima e, ao mesmo tempo, exemplar de como deve ser o comportamento dos fãs do futebol. Num vagão lotado de botafoguenses, um ambulante com a camisa do Flamengo entrou. Hostilidade? Xingamentos? Que nada! Foi uma farra só.

Os botafoguenses começaram a cantar o hino do Botafogo, incentivando o flamenguista a fazer o mesmo. Eu acho que ele cantou, e vocês?

Para completar, depois, os alvinegros, em êxtase com a classificação para as semifinais da Copa do Brasil, ainda compraram toda a mercadoria do ambulante, que saiu vibrando com o dinheiro para ajudar no sustento da família.

Outro belíssimo exemplo foi do alvinegro Will Markes. Na empolgação pela comemoração de um dos gols na vitória sobre o freguês Atlético-MG por 3 a 0, ele acabou danificando uma cadeira do Nilton Santos e, no Twitter, pediu que o Botafogo entrasse em contato com ele para que pudesse pagar o conserto. Não é espetacular?

É diferente, amigos!

É um sentimento que ninguém entende torcer pelo clube que é o mais tradicional!

Saudações alvinegras!