O ano era 2011, o Botafogo reforçava seu time no segundo semestre com Renato, Elkeson e Cortez, faltava mais um atacante para dar opção a Caio Júnior na frente, que tinha Loco Abreu e Herrera, além dos jovens Caio, Alex e Willian. A solução da diretoria foi olhar para o exterior e um buscar um novo “Emerson Sheik”. Ele era Alexandre Oliveira, de 32 anos, que estava seis temporadas no Al Wasl (dos Emirados Árabes). Não funcionou.

Alexandre Oliveira virou alvo de memes da torcida e teve passagem discretíssima, com oito jogos disputados e apenas um gol marcado. Na apresentação, disse ser um segundo atacante rápido. Em campo, não mostrou velocidade quando jogou pelas pontas nem faro de gol quando jogou de centroavante.

Conhecido de Caio Júnior

Alexandre Oliveira chegou ao Botafogo credenciado por ter virado ídolo nos Emirados Árabes e por ter trabalhado anteriormente com Caio Júnior no Paraná. O então técnico alvinegro aprovou a contratação do atacante. No clube paranaense, marcou um gol sobre o Botafogo em 2002, o último do 3 a 1 no Maracanã, pela Copa do Brasil.

Dispensado por Maradona

Com seis anos no Al Wasl, gols, títulos e e carreira consolidada, Alexandre Oliveira saiu por decisão de ninguém mais ninguém menos que Maradona, que se tornou treinador do clube em 2011.

“Acabei saindo do Al Wasl porque o Maradona não quis ficar comigo. Não acho que fui desprezado, mas infelizmente ele optou por reformular o grupo. Cada um tem seu motivo, mas não tive outra alternativa senão acatar”, afirmou na época ao site “UOL”.

Pacotão

O Botafogo sonhava contratar Diego, meia do Wolfsburg (ALE), hoje no Flamengo. A novela se arrastou e não teve final feliz. O pacotão de reforços para o segundo semestre foi composto pelo zagueiro Gustavo, o meia Felipe Menezes e o atacante Alexandre Oliveira. Nenhum fez sucesso no clube.

Gol solitário

Quando a bola rolou, Alexandre Oliveira pouco fez no Botafogo. Seja jogando com Loco Abreu ou Herrera, não se firmou. Seu único gol foi o de honra em uma derrota por 4 a 1 para o Independiente Santa Fé na Colômbia. O time já perdia por 4 a 0 quando saiu o gol do atacante, em jogo que ficou marcado por invasão de cachorro em campo, o que impediu uma goleada maior, no dia 25 de outubro.

O Botafogo jogou com: Jefferson; Lucas, Gustavo, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Léo (Somália), Elkeson e Felipe Menezes (Thiago Galhardo); Caio (Alexandre Oliveira) e Alex.

A saída

O Botafogo, que disputava título e vaga na Libertadores, teve queda brusca de desempenho nas rodadas finais (terminou com cinco derrotas e um empate), o que custou o cargo de Caio Júnior a três jogos do fim do Campeonato Brasileiro. Com a saída do treinador, o preparador de goleiros Flavio Tenius assumiu como interino, Alexandre Oliveira não teve mais chances e acabou dispensado ao fim do ano.

Golaço de bicicleta

Após a passagem pelo Botafogo, o atacante apareceu no Londrina, onde teve um de seus últimos momentos de brilho no futebol: um golaço de bicicleta.

E aí, saudades do Alexandre Oliveira?