Pitacos: Botafogo cai e sobe no mesmo ano, sem virada de mesa; na Série A, time de Enderson brigaria por Libertadores

69 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Pitacos: Botafogo cai e sobe no mesmo ano, sem virada de mesa; na Série A, time de Enderson brigaria por Libertadores

* O Botafogo é provavelmente o primeiro caso de time a cair e voltar para a Série A no campo. Sem virada de mesa, tapetão ou arbitragens polêmicas para evitar rebaixamento, sem histórias mal-contadas, sem manchas. Rebaixado em fevereiro, o Botafogo carimbou o retorno no dia 15 de novembro de 2021.

* A história mostra que o Botafogo é um gigante que se levanta quando poucos acreditam. Principalmente quando tem o apoio da torcida. O que os botafoguenses fizeram na reta final de Série B foi fantástico, com presença em hotel, viagens e no estádio. A atmosfera no Nilton Santos foi crucial para o time virar o jogo, vencer o Operário e conquistar o acesso antecipadamente.

* Não é exagero dizer que esse time comandado por Enderson Moreira (não o de Marcelo Chamusca), sólido e bem estruturado, lutaria por vaga na Libertadores se estivesse na Série A. Afinal, serão nove classificados e há equipes bem medianas na briga. Seria possível estar nessa disputa, ainda que o cenário indique a necessidade de mais investimento. 

* É válido enaltecer todos os jogadores na campanha do acesso. De uma forma ou de outra, todo mundo deu alguma contribuição. Mas é preciso destacar alguns em especial. Casos de Joel Carli, Kanu, Chay e Rafael Navarro (além do técnico) Enderson Moreira. São os protagonistas, mas com ótimos coadjuvantes, como Marco Antônio, Diego Gonçalves, Warley, Luís Oyama e Daniel Borges, entre outros.

* Mas o mérito maior é de Enderson Moreira. Foi ele quem assumiu o time quando quase ninguém acreditava, outros técnicos rejeitavam e o acesso parecia improvável. Foi ele quem deu corpo e consistência ao time, apostou em Joel Carli na zaga, centralizou Chay, tornou a defesa mais segura e o ataque mais letal. Foi ele que motivou praticamente o elenco inteiro e deixou vários jogadores prontos para serem usados.

* O desafio, a partir de agora, mais do que ser campeão da Série B, é pensar na Série A de 2022. O time atual brigaria por Libertadores no ano que vem, mas é preciso considerar que ocorrerão muitas mudanças no elenco. Por exemplo, não vai ser simples manter jogadores como Rafael Navarro, Marco Antônio e Luís Oyama. Vai ser necessário critério e acerto nos reforços, para que o Botafogo possa dar alegrias ao torcedor no ano que vem como deu no segundo semestre de 2021.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas