Pitacos: Del Piage e Vinícius Lopes pedem passagem; por que Botafogo não aumenta a rotação no início dos jogos?

151 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Pitacos: Del Piage e Vinícius Lopes pedem passagem; por que Botafogo não aumenta a rotação no início dos jogos?
Vitor Silva/Botafogo

* O empate em 1 a 1 do Botafogo com o América-MG pode ser analisado de diferentes formas. Ou frustrante por deixar escapar a oportunidade de assumir a liderança diante de um time desfalcado e desgastado por ter jogado pela Libertadores quarta, somando ainda com o gol perdido por Victor Sá no fim. Ou como um bom resultado se pensar que o Alvinegro saiu atrás no placar e foi buscar o empate no fim contra um adversário difícil de ser batido em sua casa.

* Mas o que nos deixa incomodados é a impressão que o Botafogo não “aumenta a rotação” por conta própria. Precisa o jogo pedir ou haver necessidade de buscar o placar. O que explica estar saindo atrás nos últimos jogos. O Alvinegro não começa em ritmo intenso, não pressiona, troca passes com uma falsa sensação de controle e acaba ficando exposto. Assim, levou o gol do América-MG.

* É lógico que é difícil manter o ritmo por 90 minutos, mas não poderia o jogo mais vibrante e pilhado? Foi como o time terminou o jogo, nos últimos 15 minutos, nos quais empatou com Erison e quase virou. Ora, o Botafogo teve uma semana cheia para treinar (o América-MG não), o rival tinha desfalques e, para completar, não tinha um ataque veloz, era Aloísio Boi Bandido e Henrique Almeida. A equipe alvinegra não só podia, como devia ter subido as linhas para pressionar.

* E aí tem outros fatores que o torcedor imagina que sejam motivadores, mas parecem passar batidos pelos jogadores. Como a oportunidade de virar líder e a invasão da torcida botafoguense na Arena Independência. O mínimo que os botafoguenses que se deslocaram até o estádio, cada um com seu sacrifício pessoal, merecia uma outra atitude por parte dos atletas. Não é que faltou vontade ou compromisso com o jogo, mas faltou encará-lo com espírito de decisão. O que poderia ter feito diferença.

* No time, que Luís Castro ainda tenta encontrar a formação ideal, há dois jogadores pedindo passagem. Um deles é Del Piage (outrora Romildo) no meio-campo. Dá mais intensidade, força, se movimenta, percorre grandes faixas do campo, marca, chega ao ataque. Hoje, está melhor que os três titulares do jogo com o América-MG (Luís Oyama, Patrick de Paula e Tchê Tchê), talvez o mais indicado seja ganhar a vaga deste último. Outro que vem crescendo de produção e merecendo espaço é Vinícius Lopes, principalmente por haver uma lacuna na ponta-direita. Diego Gonçalves por ali não deu certo.

* Voltando ao tema do início, para nós foi um bom resultado. É importante o Botafogo seguir pontuando e estar no bloco de cima da tabela. Assim como é necessário aproveitar bem as semanas cheias para seguir evoluindo, porque junho virá com uma maratona de jogos. Aí, em julho, com reforços pontuais e de boa qualidade, o time terá tudo para continuar brigando na parte de cima no Campeonato Brasileiro.

Veja vídeo com a festa da torcida do Botafogo em Belo Horizonte:

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas